Tomate hidropônico - o sucesso do cultivo nesse sistema

No Brasil, o cultivo do tomate hidropônico ganha força a cada ano, pois no ambiente protegido o fruto resiste mais às intempéries e às diversas pragas e doenças, gerando lucro certo ao produtor

Tomate hidropônico - o sucesso do cultivo nesse sistema

 

No Brasil, o cultivo do tomate hidropônico ganha força a cada ano, pois no ambiente protegido o fruto resiste mais às intempéries e às diversas pragas e doenças. No entanto, o manejo adequado em sistema hidropônico promove o sucesso da cultura, gerando lucro certo ao produtor. O tomate é um fruto muito versátil, podendo ser consumido tanto in natura como na forma de produtos processados pela indústria, tornando-se, atualmente, uma das principais hortaliças consumidas no mundo.

“Nos últimos anos, o Brasil destacou-se como um dos maiores produtores mundiais de tomate. As principais regiões produtoras são a Sudeste e a Centro-Oeste. Nelas, estão localizadas as maiores empresas de processamento do fruto”, afirmam os professores Carlos Alberto G. de Moraes e Marcelo H. Watanabe, do Curso Hidroponia – Cultivo de Tomate, elaborado pelo Centro de Produções Técnicas (CPT).

Sim, o tomate é um fruto! Embora muitos acreditem ser ele um legume, na realidade, ele nada mais é do que um fruto, pois surge do desenvolvimento do ovário e do óvulo da flor do tomateiro, formando o pericarpo e as sementes, respectivamente, após a fecundação.

Por ser uma cultura com altos custos de implementação e manutenção os produtores brasileiros vêm buscando condições mais favoráveis para o pleno desenvolvimento do tomate no interior de estufas e distante do solo. Isso evita, ao máximo, o ataque de pragas e o surgimento de doenças comuns à cultura do tomateiro. Além de um melhor controle da temperatura e da umidade relativas e, consequentemente, dos tratos fitossanitários e do fornecimento de água e nutrientes.

Estudos vêm sendo realizados em relação ao cultivo protegido, ao sistema hidropônico e à produção de tomates com apenas um cacho, visando a melhores condições do cultivo do tomateiro, bem como ao aumento da produtividade e da qualidade dos tomates.

Alguns resultados já mostram que, apenas um cacho por planta, diminui o ciclo da cultura do tomate, expondo-a a menores riscos de ataques por pragas e doenças e associado à redução do espaçamento entre um tomateiro e outro o sistema torna-se altamente produtivo.

Além disso, em tomates hidropônicos, o manejo adequado das concentrações de nutrientes da solução nutritiva, como o aumento da relação K/N, na fase de frutificação, permite obter frutos de melhor qualidade.

Como principais vantagens do cultivo do tomate em sistema hidropônico, podemos destacar a melhor utilização de luz suplementar, o fácil acesso para manuseio das plantas, como podas, desbastes de frutos, pulverização, polinização e colheita, além do aumento da eficiência de trabalho pela automatização e escalonamento das colheitas.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Hidroponia.

Por Andréa Oliveira.

Acesse os links abaixo e conheça mais sobre Produção de Tomate Hidropônico:

O ambiente protegido e controlado

Local e orientação para instalação da estufa

Sistema aberto, fechado e NFT

Cursos Relacionados

Curso Hidroponia - Cultivo de Tomate Curso Hidroponia - Cultivo de Tomate

Com Prof. Carlos Alberto G. de Moraes e Prof. Marcelo...

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Hidroponia - Solução Nutritiva Curso Hidroponia - Solução Nutritiva

Com Prof. Dr. Quirino Carmello

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Cultivo de Tomate em Estufa Curso Cultivo de Tomate em Estufa

Com Prof.ª Dr.ª Rumy Goto

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Hidroponia  -  O Cultivo sem Solo Curso Hidroponia - O Cultivo sem Solo

Com Prof. Dr. José Damião

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Welles Alves Nunes

11 de dez de 2013

Sou técnico agrícola e apaixonado por agricultura orgânica gostaria de obter mais informações sobre a cultura do pimentão neste sistema de cultivo.

Resposta do Portal Cursos CPT

18 de dez de 2013

Olá, Welles!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

O pimentão é uma hortaliça típica de clima tropical, exigindo temperaturas noturnas e diurnas mais elevadas que o tomate. As temperaturas mais favoráveis para o desenvolvimento da cultura variam com a fase da planta.

A época de plantio depende do clima da região. Em regiões baixas, com altitude menor que 400 metros, e de inverno ameno, pode ser semeado o ano todo. Mas, nessas regiões, a semeadura de fevereiro a abril propicia melhores condições para a cultura e a colheita se dá na época de melhores preços.

Em locais muito quentes, é melhor cultivar o pimentão no outo0inverno. Em regiçoes altas e mais frias, acima de 800 m de altitude, a época de plantio vai de agosto a fevereiro; assim, o cultivo se dá na primavera e no verão. Também, nessas regiões, uma boa alternativa é o cultivo do pimentão em estufa. Assim, é possível ter o produto na entressafra, o que traz maiores lucros para o pordutor.

O semeio deve ser realizado em copos de plástico de 200 cc, com duas sementes/copo, desbastando-se após a germinação, mantendo-se apenas uma muda. Empregando-se substratos orgânicos mais ricos, ou substratos comerciais, estas mudas podem também ser formadas em bandejas.

Também, é recomendável que as mudas sejam feitas dentro de uma estrutura fechada.

Elas estão prontas para serem transplanbtadas, quando estiverem com 10 a 15 cm de altura e 6 a 8 folhas definitivos. Por apresentar desenvolvimento mais lento que o tomate, as mudas são transplantadas entre 30 a 45 dias após a semeadura.

O preparo mecico do solo pode ser dispensado, caso o local não tenha excesso de ervas espontâneas ou se tiver recebido adubação verde, procedendo-se a abertura e adubação das covas diretamente.

O espaçamento para plantio em linha simples é de 1 m entrelinhas e 40 a 50 cm entre plantas.

As covas devem ser irrigadas abundantemente antes do transplante das mudas, dispensando a irrigação no primeiro dia. Na hora do plantio, é preciso também evitar enterrar muito a muda. Ela deve ficar na mesma profundidade que estava no recipiente, pois o plantio profundo favorece a podridão do colo, motivo pelo qual não se recomenda a amontoa, nem o plantio em leiras.

Para mais informações conheça o Curso CPT Cultivo Orgânico de Tomate, Pimentão, Abóbora e Pepino.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Outros artigos relacionados à área Hidroponia

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade