WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Cana-de-açúcar - Processo de Colheita

Cana-de-açúcar - Processo de Colheita

 

Os processos convencionais de colheita manual ou mecânica, com ou sem queima prévia, visam apenas o aproveitamento dos colmos e estão constituídos de uma sequência de operações simples que incluem o corte da base, do ponteiro e a picagem ou enleiramento dos colmos. Em ambos os casos, o aproveitamento da palha não faz parte do processo de colheita.

No caso de colheita de cana crua sem queima prévia, a palha é separada dos colmos, mesmo que parcialmente, e deixada no campo para servir de proteção ao solo e raramente é aproveitada, mesmo que parcialmente, para outro fim. No caso do corte manual, a colheita sem queima prévia dificulta o trabalho do cortador e reduz a quantidade de cana a ser colhida, o que inviabiliza economicamente a operação.

Sistema de colheita mecânico

As colhedoras disponíveis no Brasil apresentam, em sua maioria, as mesmas características, mas com pequenas variações, dependendo do fabricante, quanto ao sistema de alimentação ou transporte do material no interior da colhedora. Estão listadas, abaixo, as principais características destas colhedoras:

- São autopropelidas, com sistemas hidrostáticos e mecânicos para seu deslocamento;

- Dispõem de mecanismo para separar as linhas e para levantar a cana deitada transversalmente. Com o avanço da colhedora, este mecanismo deita os colmos no sentido do eixo longitudinal da máquina para tornar viável o processo de alimentação, depois do corte da base;

- Eliminador de ponteiros, situado na parte frontal superior da máquina;

- Mecanismo de corte de base: dois discos de aproximadamente 700 milímetros de diâmetro, com altura de corte controlada pelo operador, que têm a função de cortar os colmos em sua base, cerca de dez a 20 milímetros acima do nível do solo;

- Transportador de rolos com duas funções: transportar os colmos até o sistema de picagem e eliminar o grande volume de solo alimentado pelo cortador de base;

- Picador de colmo com capacidade de cortar 95% dos colmos entre 230 e 350 milímetros;

- Sistemas de limpeza composto pelo extrator principal, localizado logo após a picagem dos colmos, responsável por 90% do processo de limpeza (separação dos colmos das impurezas vegetais) e pelo extrator secundário situado no extremo superior da esteira transportadora, antes do produto colhido ser lançado ao veículo de transbordo;

- Esteiras transportadoras, capazes de girar em ângulo de 180º, permitindo que a colhedora possa cortar sempre o mesmo lado do talhão.

Sistemas de carregamento e transporte

- Semimecanizado


Após o enleiramento da cana colhida manualmente de cinco ou sete ruas, a matéria-prima é recolhida por carregadoras e colocada em caminhões.

Existe uma grande variedade de carregadoras, sendo que a maioria é montada sobre tratores modificados especialmente para receber este equipamento. Existem, ainda, carregadoras especialmente projetadas para este fim, como os triciclo autopropelidos, utilizadas em regiões de grande declividade. O transporte da carga até a usina é realizado por caminhões simples, com duas caçambas (Romeu e Julita), três caçambas (treminhão) ou até mais. A descarga no pátio da usina é realizada no hilo convencional, no qual a cana pode ou não ser lavada, dependendo da usina.

- Mecanizado

Nos sistemas mecanizados de colheita, toda a cana que passa pela colhedora é lançada no veículo de transbordo, um implemento tracionado geralmente por tratores, cuja função é retirar a matéria-prima colhida de dentro do talhão e transbordá-la aos caminhões, que a transportarão à usina. Os caminhões que realizam o transporte da cana colhida mecanicamente têm uma caçamba diferente da que é utilizada nos sistemas semimecanizados, pois transportam cana picada. A denominação quanto ao número de caçambas é o mesmo utilizado no sistema semimecanizado. O hilo de descarga de cana picada também é diferente do utilizado com cana inteira, pois necessita tombar a caçamba do caminhão. Neste caso, a cana nunca é lavada.

Confira todo o conteúdo sobre Cana-de-Açúcar, acessando o link abaixo:
 
Cana-de-açúcar

Fontes: Embrapa, Wikipédia e UFPB, Ebah

Postado por Silvana Teixeira

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!