WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Resultados da busca para "cabras-leiteiras-parda-alpina" ()

Cabras Saanen têm úbere desenvolvido, o que eleva a produção leiteira

Indiscutivelmente a raça de cabra leiteira mais criada no mundo, é também destaque no Brasil. A cabra leiteira Saanen é destaque por precisar de um ambiente de manejo menos rústico para que a produção não seja comprometida. Essa raça tem origem na Suíça, no Cantão de Berna, particularmente no vale de Saanen. O valor econômico desses animais fez com que se espalhassem por diversos países.

Especialista: Criar cabras é fácil. Basta ter planejamento!

Para criar cabras, basicamente, você precisa de bons animais, instalações confortáveis que facilitem o manejo, e de boa alimentação para os animais, afirma Maria Pia Souza Lima Mattos de Paiva Guimarães, professora do Curso a Distância CPT Criação de Cabras Leiteiras - Instalações, Raças e Reprodução, em Livro+DVD e Curso Online.

Raças de cabras leiteiras determinam a produtividade

A escolha da raça é uma das questões mais importantes na implantação do capril. É um assunto estratégico, que deve ser estudado pois, após a formação de um plantel, qualquer mudança será lenta e custosa. Há três grupos básicos de raças, classificadas de acordo com sua aptidão: de corte, leiteira ou mista. As diferenças entre essas decorrem de fatores fisiológicos que determinam que algumas raças tendem a acumular menos carne, para poder converter o alimento que consomem em leite, e que, ao contrário, outras tendem a converter o alimento mais em musculatura, produzindo menos leite.

Especialista: Carindé, Marota, Moxotó, Graúna e Repartida adaptam-se rapidamente ao ambiente

Apesar de não serem raças totalmente especializadas na produção de carne ou leite, as raças nativas de cabras como a Carindé, Marota, Moxotó, Graúna e Repartida merecem ser conservadas, selecionadas e utilizadas na caprinocultura, pois apresentam uma importante característica: a adaptabilidade ao ambiente em que se desenvolveram.

Cabras são alimentadas com cana em época de escassez de alimento

Pesquisa realizada na Unesp de Botucatu, com colaboração do Campus de Jaboticabal, comprovou que cabras de baixa produção leiteira alimentadas com cana-de-açúcar, in natura, em época de escassez de alimentos, produzem tanto quanto as demais, alimentadas com silagem de milho.

Tecnologia permite rápida seleção genética do rebanho leiteiro

Recentemente, a Embrapa Gado de Leite anunciou um produto pioneiro para avaliação genômica do rebanho leiteiro. Trata-se de um avanço jamais alcançado no melhoramento genético do rebanho leiteiro nacional. Com a nova tecnologia, ao nascimento do bezerro, pode-se avaliar o seu potencial genético.

Derivados de cabra leiteira é futuro de sucesso

A oferta de leite de cabra para o consumidor tem crescido muito nos últimos anos. A versatilidade de produtos contribui para que os criadores conquistassem o mercado

Cevada na ração de vacas leiteiras reduz custos de produção

Em 2016, muitos produtores de leite se beneficiaram do resíduo da cevada, matéria-prima utilizada pelas cervejarias para a produção da tão apreciada cervejinha gelada, como ingrediente indispensável da ração utilizada na alimentação de vacas leiteiras. Na prática, o subproduto permitiu aos produtores uma economia vantajosa, já que utilizando o resíduo da cevada na alimentação animal puderam economizar com a compra de outros cereais mais caros.

Protocolo de IATF para vaca leiteira é estratégia para maior remuneração do produtor

Especial - A base dos protocolos de IATF - Inseminação Artificial em Tempo Fixo, é sempre a mesma, mas para fêmeas manejadas para produção leiteira ou fêmeas acíclicas... E mais: vídeo explicando o protocolo de IATF para vacas leiteiras

Melhoramento genético coloca PB na liderança na produção de leite de cabra

O Nordeste como um todo sempre se destacou pela criação de caprinos. No entanto, os pecuaristas se ocuparam com a produção de corte. O leite era considerado um produto secundário, usado principalmente para consumo interno. Não foi fácil convencê-los de que o produto poderia aumentar a renda nas pequenas propriedades.

Fique por dentro das novidades!