WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Resultados da busca para "qual-a-melhor-raca-de-frango-caipira-para-corte" ()

Influência da raça na produção e qualidade do leite

As raças bovinas são classificadas de acordo com sua capacidade de produção e teor de gordura encontrada no leite, afirma Dr. José Henrique Bruschi, professor do Curso a Distância CPT Shamballah - O Segredo da Alta Produtividade Leiteira, em Livro+DVD e Curso Online. Podemos, portanto, classificá-las da seguinte maneira: raças de alta produção leiteira, raças mistas e raças de alta porcentagem de gordura.

Vai comprar e preparar frango caipira para o almoço? Leia!

A carne do frango caipira possui melhor consistência, sendo ideal para o preparo de diversos pratos e pode até mesmo substituir carnes exóticas como a de faisão por exemplo. “No entanto alguns cuidados devem ser tomados desde a escolha da ave, se comprada ainda viva, até o preparo do prato”, afirma Luiz Fernando Teixeira Albino, professor do Curso a Distância CPT Criação de Frango e Galinha Caipira, em Livro+DVD e Curso Online.

7 dicas de manejo de frangos de corte

O manejo dos frangos de corte pode ser conceituado como o conjunto de ações praticadas, com o objetivo de proporcionar conforto às aves, de maneira que elas possam ter o melhor desempenho possível, qualquer que seja o seu estado de maturidade.

Qual tipo de comedouro usar na criação de frango caipira?

Os comedouros, normalmente utilizados e disponíveis no mercado, utilizados na criação de galinhas caipiras são do tipo bandeja, tubular e automático helicoidal ou tubo flex, afirma Marcelo Dias da Silva, professor do Curso a Distância CPT Criação de Frango e Galinha Caipira. O tipo bandeja, confeccionado em plástico, chapa galvanizada ou madeira, é usado nos primeiros dias de vida dos pintos, dentro dos círculos de proteção, na proporção de um comedouro para 80 pintos.

Produção de frangos de corte: curiosidade

Curiosidade: você sabia que, na criação de frangos de corte, a fêmea é menos exigente em nutrientes que o macho? O custo para a alimentação da fêmea é mais baixo. Ela também completa o desenvolvimento em um tempo menor, podendo ser abatida antes do macho

Label Rouge: conheça o frango caipira de pescoço pelado

O melhoramento genético francês é o responsável pelo desenvolvimento desta ave. A sua aptidão é para corte, estando muito bem adaptada ao manejo a campo. Possui a plumagem de coloração variada, exceto na cara e no pescoço, que são nus. “Tanto os machos quanto as fêmeas apresentam o pescoço pelado”, afirma Dr. Luiz Fernando Teixeira Albino, professor do Curso a Distância CPT Criação de Frango e Galinha Caipira, em Livro+DVD e Curso Online. Os pintinhos de um dia já saem da granja vacinados contra as doenças de Marek, de Bouba aviária e de Gumboro.

Quer se dar bem com a criação de frangos de corte? P.E.S.Q.U.I.S.E!

Um avicultor prevenido deve visitar outras experiências similares na sua região, para conhecer melhor a realidade do negócio e evitar cometer erros antes de iniciar a sua criação de frangos de corte. “Ele deve também trabalhar de maneira planejada, o que lhe é facilitado quando inserido no sistema de integração”, afirma Dr. Judas Tadeu de Barros Cotta, professor do Curso a Distância CPT Produção de Frangos de Corte.

Frango de corte em alta densidade: mais aves por metro quadrado

Você sabe o que quer dizer criar frangos de corte em alta densidade? É a criação de mais aves por metro quadrado de construção ou, em outras palavras, o aumento da produção

Com que idade os frangos devem ser abatidos?

Um frango já pode ser abatido a partir de 1 kg de peso vivo. Antes disto, ele ainda está muito pequeno. Mas não se deve abatê-lo muito grande, pois, quanto mais velho, pior a conversão alimentar. É por isto que se deve abater entre os 28 e os 42 dias de idade.

Fria ou quente: em qual temperatura criar galinhas caipiras?

O conforto ambiental é essencial para a produtividade do plantel, uma vez que a galinha caipira utiliza 80% da energia ingerida para manter a homeotermia, e apenas 20% para a produção. Tanto em ambiente com temperatura mais alta do que o apropriado, quanto em temperaturas mais baixas, as aves necessitaram “regular” a sua temperatura, demandando gastos de energia que poderiam estar sendo aproveitados na produção,

Fique por dentro das novidades!