WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Resultados da busca para "como-armazenar-pimenta-biquinho" ()

Pimenta-do-reino: história e produção

A pimenta-do-reino, uma das especiarias mais antigas conhecidas, é originária do sudeste da Índia. É cultivada principalmente em países de climas tropicais e subtropicais. Sendo assim, encontra no Brasil condições ideais para o seu cultivo. Sua produção no Brasil é exportada para dezenas de países, nas formas de pimenta preta, pimenta branca e pimenta verde ou em salmoura, sendo que a maior parte produzida é de pimenta preta.

Sombra ou sol? Onde plantar pimentas?

As pimentas são exigentes em luminosidade, necessitando de luz solar direta e o número de horas de insolação diária afeta diretamente a produção. “O local para o plantio de pimenta deve receber luminosidade o dia inteiro, evitando-se locais que fiquem sombreados parte do dia”, afirma Roseane Mendonça de Figueiredo, professora do Curso a Distância CPT Produção e Processamento de Pimenta, em Livro+DVD e Curso Online.

Curiosidades Cursos CPT: pimenta-do-reino - valor

Nos séculos XV e XVI, na época das grandes navegações e descobrimentos marítimos, o valor da pimenta-do-reino era tão alto que ela foi utilizada como moeda. A busca por especiarias, como a pimenta-do-reino, foi uma das principais causas da expansão do império português

Muita ou poca água? Qual o melhor para as pimenteiras?

A pimenta necessita de 800 a 1.700 mm de chuva por ano, bem distribuídos. No entanto, chuvas em excesso podem ser prejudiciais, uma vez que essa planta não tolera o encharcamento. “A pimenteira resiste bem a estiagens curtas, mas a seca prolongada pode retardar o seu desenvolvimento e florescimento”, afirma Roseane Mendonça de Figueiredo, professora do Curso a Distância CPT Produção e Processamento de Pimenta, em Livro+DVD e Curso Online.

Como armazenar plantas medicinais após a colheita?

Após a secagem, as plantas devem ser armazenadas em embalagens que permitam adequada aeração. Normalmente, são utilizados sacos de papel, sacos plásticos, caixas de papelão, potes de vidro, sacos de juta e algodão ou sacos de náilon trançado. Durante o acondicionamento, deve-se tomar o cuidado de não apertar ou prensar as plantas.

Vai plantar pimenta-do-reino? Conheça a Singapura

Essa cultivar de pimenta-do-reino foi introduzida em 1933, na região Norte do Brasil, por imigrantes japoneses, através do porto de Cingapura. Caracteriza-se por apresentar, após três anos, plantas com formato cilíndrico, folhas pequenas e estreitas, espigas curtas com comprimento médio em torno de 7cm e frutos de tamanho médio.

Curiosidades Cursos CPT: pimenta-do-reino - sabor forte

Você sabia que, na Idade Média, a pimenta-do-reino era utilizada para disfarçar o sabor de alimentos em início de decomposição? É verdade! Seu sabor forte e picante conseguia se sobrepor ao gosto ruim da comida semiestragada

Ovos de Páscoa: saiba como conservá-los

Em breve, chega a Páscoa e, com ela, os mais variados e deliciosos Ovos de Páscoa. Mesclados, crocantes e trufados, há uma infinidade de sabores, cores e texturas. São tantas as opções que, muitas vezes, não sabemos o que fazer com as sobras dos ovos de chocolate, muito menos, como conservá-los para que não estraguem. Pensando nisso, escolhemos algumas dicas de armazenamento para que você e sua família tenham chocolate o mais saboroso possível.

Cristais de gelo no sorvete? O problema está na temperatura de armazenamento!

A armazenagem do sorvete pronto deve ser feia em condições adequadas para que não perca qualidade. Deve ser armazenado em local separado das matérias-primas e dos ingredientes. “O freezer de armazenamento deve estar em temperatura igual ou inferior a -18ºC. No balcão expositor, local de venda dos sorvetes, a temperatura deve manter-se o mais constante possível, entre -12ºC e -17ºC”

Vai processar pescados? Seu sucesso depende dessas dicas

Por pescado, pode-se designar qualquer animal de origem aquática, compreendendo peixes, moluscos (ostras, mariscos, lulas, polvos e abalones), equinodermos (ouriço-do-mar) e crustáceos (caranguejos, siris, camarões e lagostas). “Por serem altamente perecíveis, os pescados exigem cuidados especiais na manipulação, no armazenamento, na conservação, no transporte e na comercialização”, afirma Elisabete Maria Macedo Viegas, professora do Curso a Distância CPT Técnicas de Processamento de Peixes, em Livro+DVD e Curso Online.

Fique por dentro das novidades!