WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Resultados da busca para "sinais-da-proximidade-do-parto-da-egua" ()

Reprodução de cavalos - sinais fisiológicos da proximidade do parto

De 48 a 24 horas antes do parto, gotas começam a pingar do úbere da égua, ou se coagulam nas tetas, dando a impressão que está saindo um tubinho de parafina. No Sul, esse fato é conhecido como velitas. As éguas apresentam também a vulva relaxada e edemaciada (enrugada), ânus reentrante, mucosa vaginal de coloração vermelho-escura (congesta) e fluidificação do muco do cérvix. Alguns dias antes do parto, a égua deverá ser levada para a maternidade para que se acostume com o local e o novo ambiente.

Que tipo de parto escolher? Natural, normal ou cesária?

Se a sua hora está chegando e você ainda não se decidiu sobre qual o tipo de parto escolher para trazer ao mundo seu lindo bebê, saiba que você não é a única. São muitas as futuras mamães que perdem horas do dia tentando decidir qual o melhor procedimento a tomar, se normal, natural ou cesário. O importante, no entanto, é que você tire todas as suas dúvidas com o seu médico de confiança e chame seu companheiro para participar desta decisão. Saiba que este é um momento mágico e deve ser feito da forma mais segura para você e para o seu bebê.

Gestantes: tudo sobre o trabalho de parto e como se preparar para o nascimento do bebê

Os sinais preliminares do parto começam com a expulsão do tampão mucoso da vagina. Em outras palavras, começa com a saída de uma secreção mais espessa que pode vir acompanhada de um pouco de sangue. Este ainda não é um sinal de que deva ir para o hospital, mas sim de que o trabalho de parto não demorará a começar. Por isso, a gestante deve relaxar e não se precipitar, tornando o momento único em sua vida. Afinal, após 9 meses de gestação, o seu lindo bebê está por vir!

Reprodução de cavalos - quando auxiliar a égua em trabalho de parto

A maioria das éguas requer pouco ou mesmo nenhum auxílio. Partos difíceis (distócicos) são normalmente consequência de potros fracos, doentes ou mesmo mortos, ou que não se encontrem em posição normal para nascer. Como o tempo de trabalho de parto é curto, aproximadamente 50 minutos, e acontece sob grande pressão abdominal, é aconselhável que o proprietário e o gerente do haras estejam familiarizados com o parto e conheçam os procedimentos para correção de situações que requeiram atenção.

Como cuidar da vaca e do bezerro ao parto

Todo pecuarista leiteiro bem-sucedido prima pelo conforto e bem-estar do seu rebanho. Afinal, este é um fator determinante para a boa performance e a alta produtividade do gado. Não apenas os machos reprodutores devem ser adequadamente manejados, como também a vaca em gestação e o bezerro.

Pecuária de corte: por que reduzir a idade do primeiro parto de novilhas?

Um dos maiores gargalos da pecuária de corte é a perda de peso dos bezerros ou a sua paralisação logo após a desmama, que ocorre geralmente no final do período chuvoso. Esta situação, associada aos baixos ganhos no período chuvoso subsequente e nas próximas secas de vida dos animais em crescimento, contribui sobremaneira para retardar a idade à puberdade e ao primeiro parto de novilhas em rebanhos de corte.

Como reduzir o intervalo entre partos na pecuária de leite

Especial - A eficiência reprodutiva do gado de leite está subordinada a fatores como a redução de intervalo entre partos, que depende por exemplo de manejo sanitário e alimentar bem realizados. A baixa produtividade é recorrente nos rebanhos que, além da idade avançada ao primeira parto em torno de quatro anos, possuem longo intervalo entre partos ultrapassando 18 meses.

Manejo de leitões - cuidados durante o parto e após as primeiras mamadas

O manejo adequado dos leitões começa antes de seu nascimento, quando a maternidade é lavada, desinfetada e passa por um vazio sanitário. O principal sinal da proximidade do parto é a presença de leite nos tetos da leitoa. Assim que isso é detectado, ela é encaminhada para a maternidade, onde receberá todo o atendimento necessário. O parto demora de quatro a seis horas e o intervalo entre o nascimento dos leitões varia de 10 a 20 min. O término do parto ocorre quando a porca elimina a placenta.

Reprodução de cavalos - fases do parto (1ª fase)

Quando o desenvolvimento do potro atinge a maturação, a sua glândula hipófise libera o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) que ativa a córtex da glândula suprarrenal da égua. Essa glândula libera os esteroides para a síntese de estrógenos. A ação dos estrógenos se faz presente no trato genital, dilatando o cérvix, dando início à formação do canal do parto. A prostaglandina secretada pelo útero estimula o ovário a produzir relaxina, que em ação conjunta com estrógenos atuam no relaxamento muscular (miorrelaxante) e estimulam a neuro-hipófise a secretar a ocitocina que provocará as contrações uterinas, dando início à manifestação externa de sinais que identificam a primeira fase do parto.

Reprodução de cavalos - fases do parto (2ª fase)

Inicia-se com a ruptura da bolsa d`água (alantoide), podendo ocorrer com o equídeo em pé ou quando a égua se deita. Uma vez iniciada essa etapa, o parto progredirá rapidamente, até alcançar termo, o que em média dura 30 minutos. É também a fase mais perigosa. A interrupção do parto (distocias) acarretará a morte do potro e colocará em risco a vida da égua. Com o canal do parto umedecido e lubrificado pela ruptura da bolsa alantoideana, bem como o aumento das contrações uterinas em força e em frequência, a égua poderá parir a qualquer momento. Se as contrações forem violentas, ela poderá parir em estação. Nesse caso, necessitará de ajuda.

Fique por dentro das novidades!