WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

"qual-a-vacina-usada-contra-a-corisma"

Vacinação de potros: o que saber sobre isso?

Você cria cavalos e precisa saber sobre vacinação em potros? Então vamos às devidas explicações: “O calendário de vacinação contra as enfermidades obedece a períodos específicos da gestação da égua. A dose das vacinas em equinos já vem pré-estabelecida para garantir a produção de anticorpos pela mãe e não é calculada de acordo com o peso, porte ou tamanho das matrizes, como em pequenos animais domésticos

Não vacinei meu gado contra Brucelose. Posso fornecer leite ao laticínio?

Os criadores de gado leiteiro só poderão fornecer leite ao laticínio mediante regularidade da vacinação do rebanho contra brucelose, caso contrário, o fornecimento será interrompido, além de estar sujeito a multas pelos órgãos de fiscalização do Estado.

Criação de caprinos: vacinação e aplicação de medicamentos

Vacina é uma substância capaz de produzir reação imunológica com formação de anticorpos contra um agente específico. “Apesar de serem utilizadas várias vacinas na caprinocultura, segundo a Instrução Normativa no 87 do MAPA, não é obrigatória a prática de nenhum tipo de vacina para os pequenos ruminantes”, explica Maria Pia Souza Lima Mattos de Paiva Guimarães, professora do Curso CPT Criação de Cabras Leiteiras - Instalações, Raças e Reprodução.

Vai vacinar galinhas? Conheça as 5 formas e faça a melhor escolha!

A vacinação de frangos e galinhas caipiras pode ser feita de forma individual ou coletiva. A individual, apesar de ter um custo de aplicação, é maior do que a administração massal (coletiva), e oferece resultado mais seguro, afirma Marcelo Dias da Silva, professor do Curso CPT Criação de Frango e Galinha Caipira.

Gado de corte - preparo dos bovinos e o confinamento

O gado, antes de entrar no confinamento, deve ser vacinado contra aftosa, vermifugado, tratado contra ectoparasitas (bernes e carrapatos) e, ainda, de possíveis doenças regionais que podem acometer os bovinos.

Proteção contra raios na fazenda

Nenhum sistema de proteção contra raios oferece total segurança. Entretanto, a adoção de um sistema contra raios reduz, em muito, os riscos de acidentes com os raios. Todos os sistemas de proteção contra raios visam encaminhar o raio para a terra, fazendo a corrente se difundir no solo por meio do sistema de aterramento.

Por que vacinar os bovinos?

Os bovinos quando não vacinados podem ser atacados por várias doenças que, além da queda da produção, podem causar a morte dos animais que as contraíram. O resultado é um só: prejuízo; tanto para os criadores quanto para a economia do país. Além disto, estudos mostram que muitas dessas doenças podem ser transmitidas aos homens. Fica comprovado, portanto, a extrema importância e necessidade de combater e prevenir doenças, principalmente com o uso de vacinas específicas.

Por que vacinar o gado de leite?

A vacinação é uma prática importante e necessária na produção de bovinos leiteiros, podendo ser obrigatória ou não. Em ambos os casos, o objetivo é prevenir (ou erradicar) doenças infectocontagiosas e reduzir perdas econômicas. Segundo Oriel Fajardo Campos, professor do Curso a Distância CPT Bezerras de Raças Leiteiras - Do Nascimento ao Desaleitamento, em Livro+DVD e Cursos Online, "Para melhorar a eficiência da vacinação sem prejudicar o bem-estar dos animais, é importante desenvolver e aplicar as boas práticas de manejo, bem como treinar as pessoas para a correta aplicação das vacinas".

Medicina natural: Sabugueiro (Sambucus australis)

O sabugueiro é indicado como sudorífico, cicatrizante, emoliente, diurético, béquico, antiespasmódico, antitérmico natural. As flores são usadas contra o sarampo e as cascas e folhas, contra resfriados. As cascas podem ser purgativas.

Azevém e aveia: forrageiras usadas em silagem e feno

Tanto o azevém como a aveia são forrageiras que podem ser usadas por meio de corte ou pastejo, e para uso como alimento conservado, tanto como pré-secado (silagem) ou como feno. Por causa da forma ereta de crescimento da aveia, essa forrageira é mais usada em pequenas propriedades, visando ao seu corte periódico. Por outro lado, o azevém é bastante indicado para pastejo. As duas espécies adaptam-se bem às regiões Sul e Sudeste do Brasil, onde mostram significativas produções de forragem de qualidade nos cultivos realizados.

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!