Resultados da busca para "qual-a-diferenca-entre-vegetais-secos-e-desidratados"

Vegetais desidratados - matéria-prima: qualidade, custo, cultivo, colheita, variedade, maturação e armazenamento

A qualidade, o custo, o cultivo, a colheita, a variedade e a maturação das hortaliças e dos legumes, que serão matéria-prima para a fabricação de vegetais desidratados, é fundamental para se obter um produto final de boa qualidade, além de diminuir os custos das operações de preparo para a secagem e, principalmente, aumentar o rendimento do produto desidratado.

Restauração florestal: necessidade de consumo de recursos naturais

Embora a preservação dos remanescentes de vegetação natural seja de extrema importância, em determinadas situações, a necessidade de consumo de recursos naturais pode conflitar com essa preservação, tornando inevitável a supressão da vegetação. "Existem situações em que o licenciamento ambiental para atividades de mineração, represamento de cursos d’água para construção de hidroelétricas, abertura de estradas e outros, permite que a vegetação seja suprimida, e, nesses casos, a compensação ambiental consiste na restauração da vegetação nativa em outra área, dentro da mesma bacia hidrográfica, geralmente, em uma proporção de 2:1 ou 3:1, ou seja, para cada hectare desmatado, devem ser restaurados dois ou três hectares de floresta"

Tomate seco e shiitake desidratado apresentam sabor diferenciado e evitam o desperdício

A técnica de desidratação ou secagem dos alimentos evita o desperdício, um dos mais importantes problemas enfrentados pelo Brasil. Isto é um grande paradoxo, já que temos milhões de pessoas sem acesso à alimentação em quantidade e/ou qualidade, para que se mantenham, primeiramente, vivos e, quando assegurada a sobrevivência, com saúde e capacidade adequada ao desenvolvimento.

Como fazer tomate seco - passo a passo e ingredientes necessários

O tomate é uma das hortaliças mais importantes do mundo. É cultivado em diferentes regiões e tem inúmeras formas de utilização. Atualmente, percebe-se que muitas famílias têm conseguido uma fonte de renda extra com o processamento caseiro do tomate, principalmente com a produção e a comercialização do tomate seco, amplamente vendido no comércio para pizzarias, supermercados e restaurantes. Quer aprender a fazer esta deliciosa iguaria? Adquira os ingredientes abaixo, siga o passo a passo e mãos à obra!

Vegetais desidratados, tomate seco e shiitake desidratado

A agroindústria é, reconhecidamente, um dos mais dinâmicos segmentos da economia brasileira, sendo responsável por parcela significativa das exportações do país. O setor lidera também as estatísticas de geração de empregos e de números de estabelecimentos industriais.

Alimentos desidratados são práticos, nutritivos e podem gerar renda

Vegetais desidratados são uma ótima solução para quem não gosta, ou não pode ir toda semana à feira ou supermercado, e mesmo assim quer manter uma alimentação saudável. Desidratar ou secar um alimento consiste em retirar parte do líquido que o compõem. Tornando, assim, o alimento menos exposto à ação dos micro-organismos.

Tomate seco, uma ótima alternativa para o excedente da produção

O tomate seco é uma boa alternativa de renda e uma ótima forma de se consumir o excedente da produção. Esse delicioso alimento vem experimentando, especialmente nestes últimos anos, uma grande expansão no mercado consumidor. Muitos restaurantes, padarias, lojas de conveniência e supermercados já incluem em suas listas de produtos os tomates secos

Acabe com o desperdício e aumente sua renda com a produção de vegetais desidratados

A agroindústria é um dos mais dinâmicos segmentos da economia brasileira, sendo responsável por parcela significativa das exportações do país. O setor lidera, também, as estatísticas de geração de empregos e de números de estabelecimentos industriais.

Hortaliças e legumes desidratados: etapas do processamento

A desidratação pode ser realizada por meio de diferentes métodos. O método mais comum é o que utiliza circulação forçada de ar quente. Os equipamentos que utilizam esse método são os secadores do tipo cabine e os de esteira contínua ou semicontínua. A diferença entre os métodos, de maneira geral, está na qualidade do produto final, nos custos de implantação e nas etapas de processamento.

Quer fabricar tomate seco em conserva? Veja algumas dicas

A desidratação ou secagem de alimentos é uma técnica que está crescendo a cada dia e, atualmente, é comum encontrarmos produtos formulados com desidratados em todos os tipos de mercados e supermercados. No caso específico do tomate seco em conserva, podemos assumir, além dessas, outras vantagens como sua vasta aplicação na culinária, substituindo o tomate in natura na maioria das receitas: ser um novo ingrediente para o desenvolvimento de novas receitas; e, principalmente, por ser moda o seu consumo, não necessita de grandes investimentos em marketing. Veja, abaixo, algumas dicas:

Atendimento Online
Quer Facilidade