Resultados da busca para "minhoca-gigante-africana"

Minhocas: saiba mais sobre elas

As minhocas são vermes evoluídos que pertencem ao filo dos Anelídeos. Elas são animais que se caracterizam, em particular, por apresentarem os seus corpos segmentados, tanto interna, quanto externamente. Esses segmentos (somitos) assemelham-se a pequenos anéis, daí o fato de pertencerem ao filo Anélida. São da família Oligochaeta, isto é, apresentam poucas cerdas por segmento, daí o nome Oligo (poucos) e Chaeta (cerdas).

Produção orgânica de alho - principais cultivares comerciais

A classificação dos cultivares de alho é confusa, uma vez que eles podem receber nomes diferentes em cada região. Os cultivares são, também, chamados clones, porque as mudas são pedaços da planta mãe. Atualmente, os clones que produzem bulbilhos de maior tamanho e em menor número são os preferidos dos consumidores. Por isso, eles têm sido mais amplamente cultivados. Como exemplos desses cultivares, temos o Amarante, o Gigante de Lavínia, o Gigante Roxão e o Gigante Curitibanos.

Dicas de criação de galo Índio Gigante

O galo Índio Gigante apresenta rusticidade e resistência a variações climáticas. Sendo assim, ele se adapta muito bem a várias regiões do país, pois sobrevivem muito bem ao frio e ao calor. Mesmo assim, é preciso garantir à ave conforto e bem-estar, para que se mantenha sempre saudável e com vigor.

Por que as minhocas fogem do minhocário?

Você iniciou uma criação de minhocas, investiu pesado na instalação do minhocário, na compra dos equipamentos, nos canteiros e na produção do substrato, mas tem percebido que suas minhocas andam fugindo. Aí vem a pergunta: por que isto acontece? A resposta é simples: porque as condições de criação não estão satisfatórias às minhocas, conforme deveriam. Abaixo, alguns fatores que induzem a fuga das minhocas:

Produção de farinha de minhoca é diferencial na criação de minhocas

Criação de minhocas, Minhocultura, Vermicompostagem ou Vermiestabilização são alguns dos termos empregados para designar o processo no qual utilizamos a minhoca, de maneira controlada, em cativeiro, para processar e estabilizar a matéria orgânica.

Criação de minhocas pode ser feita em pequenas caixas e com baixo investimento

A minhocultura, ou seja, o cultivo de minhocas em cativeiro, é uma atividade zootécnica que tem como processo básico a vermicompostagem. Esse processo consiste na transformação dos resíduos orgânicos em uma forma mais estabilizada da matéria orgânica, resultante da ação das mesmas e da microflora que vive em seu trato digestivo, produzindo húmus, que é a sua excreção.

Raças de coelhos gigantes

Os coelhos gigantes adultos podem chegar de 5,5 a 10 kg. Chegam a atingir 5 kg com apenas 5 meses. Existem relatos de coelhos que chegaram a atingir os 22 quilos. Por isso, são vendidos para a reprodução, já que podem ser abatidos mais cedo do que os coelhos comuns. No entanto, por terem um belo porte, muitas pessoas os criam em casa, como animais de estimação. Se conviverem, desde bem novos com as pessoas, podem se tornar muito amigáveis.

Como criar minhocas

As minhocas são vermes evoluídos que pertencem ao filo dos Anelídeos. Elas são animais, que se caracterizam, em particular, por apresentarem os seus corpos segmentados, tanto interna quanto externamente. Esses segmentos (somitos) assemelham-se a pequenos anéis, daí o fato de pertencerem ao filo Anélida. São da família Oligochaeta, isto é, apresentam poucas cerdas por segmento, daí o nome Oligo (poucos) e Chaeta (cerdas).

Abelhas com ferrão - Abelhas Africanizadas (Africana+Europeias)

As Abelhas Africanizadas são poliibridos resultantes dos cruzamentos entre a Abelha-Africana, Apis mellifera scutellata, anteriormente classificada como Apis mellifera adansonii, e as raças europeias, Apis mellifera mellifera, Apis mellifera ligustica, Apis mellifera carnica e Apis mellifera caucasica, que foram introduzidas na América antes da chegada das africanas, em 1956. No entanto, predomina, nas Abelhas Africanizadas, as características morfológicas e comportamentais das Abelhas-Africanas.

As abelhas africanas são assassinas. Mito ou realidade?

Muito agressivas, as abelhas africanas (Apis Mellifera Scutellata-africanas), tristemente célebres, procedente de um cruzamento com uma raça importada da África, em 1956, colonizou, desde então, todo o Continente Norte e Sul Americano, onde causou grande número de mortes. “Não é porque seu veneno seja mais perigoso ou mais abundante que o das abelhas europeias, mas, por atacarem com maior facilidade”, Carlos Eduardo Carvalho dos Santos, professor do Curso a Distância CPT Apiterapia - Tratamento com Produtos das Abelhas, em Livro+DVD e Curso Online.

Atendimento Online
Quer Facilidade