Resultados da busca para "fitoterapia-em-dermatologia"

Ervas que curam são usadas na dermatologia

Fitoterapia é uma forma de tratamento baseado em plantas medicinais. O uso de plantas para a cura de doenças e sintomas remonta aos princípios do homem na Terra. Atualmente, depois de muitos estudos sobre os efeitos terapêuticos, a eficácia das plantas vem sendo comprovada. Além disso, os fitoterápicos mostram-se altamente vantajosos em termos de custo e benefícios.

Pele e cabelo podem ser tratados por princípios ativos presentes nos vegetais

Para quem prefere cuidar da saúde com medicamentos naturais, a fitoterapia é uma ótima opção. Como o próprio nome já sugere, é a utilização de plantas (phyton) no tratamento (therapia) e na prevenção de problemas de saúde. Elas também são bastante utilizadas para fins estéticos, pois além de atuar no bom funcionamento do organismo, operam em tratamentos externos, como peles e cabelos. Esse tipo de tratamento é bastante requisitado pelo considerável valor terapêutico das plantas medicinais. Essa procura é feita principalmente por pessoas que preferem evitar os medicamentos industrializados.

Plantas mais utilizadas em aplicações veterinárias

Existem centenas de espécies de plantas que são utilizadas na fitoterapia, tanto na cura de seres humanos como de animais. Todavia, algumas delas apresentam um uso mais frequente

Tratamento das unhas - unhas com manchas brancas e hematomas

Como a unha é muito exposta, ela pode ser acometida de vários problemas. Estes podem ser causados pela infecção de bactérias ou fungos, ou por traumatismos diversos. Alguns podem ser tratados pelo pedicuro ou podólogo, mas, em outros casos, deve-se recorrer ao dermatologista.

Tratamento das unhas - tratamento das micoses

O tratamento só pode ser feito pelo médico dermatologista ou pelo podólogo. O manicure ou pedicuro apenas melhora a aparência das unhas e toma o cuidado necessário para não espalhar a contaminação. Os medicamentos utilizados para o tratamento podem ser de uso local, sob a forma de cremes, soluções ou esmaltes.

Plantas medicinais para o uso dermatológico

As atenções voltaram-se para as plantas medicinais, quando a ONU , em meados da década de 80, recomendou aos países em desenvolvimento que passassem a incentivar o seu uso como medicamento. A partir daí, foram feitos estudos dos efeitos terapêuticos de algumas plantas, sendo comprovada sua eficácia. Além disso, os fitoterápicos mostraram-se altamente vantajosos quanto ao custo e benefício.

Produtos fitoterápicos - procedimentos de higiene

O preparo de fitoterápicos requer um cuidado especial com a higiene, tanto de quem faz o preparo, quanto do ambiente, da matéria-prima (plantas e outros ingredientes) e dos utensílios utilizados. Os cuidados de higiene são especialmente importantes, quando se trata de produtos que serão guardados, para serem utilizados em um período maior de tempo, como os xaropes e as tinturas. Tomando-se os devidos cuidados de higiene, evita-se a contaminação dos produtos, aumentando seu tempo de validade e reduzindo o risco para a saúde de quem irá utilizá-los.

Estética facial - doença de pele lentigo

Lentigo é uma pigmentação da pele semelhante às sardas, mas que não depende apenas do sol para aparecer. É uma mancha acastanhada, circunscrita, de bordos regulares ou não, composta por proliferação localizada de melanócitos da epiderme. O lentigo simples aparece em qualquer parte do corpo ou mucosas, sem que a área fique exposta ao sol. Pode ser de nascença ou não. Surge na infância, mas pode aparecer em qualquer idade. Já o lentigo solar se apresenta na forma de lesões isoladas ou múltiplas, que aparecem pela exposição aos raios ultravioletas do sol ou de luzes artificiais muito fortes. Por isso, só surgem em áreas do corpo expostas. Está presente em 90% das pessoas brancas, acima de 60 anos.

Plantas medicinais - loção para a queda de cabelo, complexo emagrecedor e pomada para a psoríase

O uso de plantas para a cura de doenças e sintomas remonta aos primórdios do homem na Terra. Essa sabedoria popular atravessou os séculos e ainda hoje as plantas são remédios de grande valor para muitos povos, principalmente daqueles de baixa renda. Cientificamente, estudos já comprovaram que os efeitos terapêuticos de algumas plantas medicinais sobre certas doenças, além de altamente vantajosos em termos de custos e benefícios para o homem, são muito eficazes. Ao mesmo tempo, é possível notar nas sociedades do mundo inteiro crescente interesse das pessoas por formas de tratamento que têm como base ingredientes naturais, já que são menos agressivo do que o tratamento com produtos sintéticos. A queda de cabelos, a psoríase, o vitiligo, doenças do fígado, a obesidade, são algumas das doenças que afetam populações pelo mundo todo e todas elas podem ser combatidas ou controladas por meio do uso de produtos feitos com plantas medicinais. Quer saber como? Veja algumas receitas amplamente utilizadas dermatologicamente no combate à doenças comuns:

Cuidados durante a colheita e pós-colheita das plantas medicinais

A colheita e pós-colheita das plantas medicinais devem ocorrer cuidadosamente, para preservar ao máximo a integridade das partes colhidas, diminuindo, assim, a perda de princípios ativos. Por isso, é muito importante orientar a mão de obra, para que não sejam coletadas plantas doentes, com manchas, terra, poeira, partes deformadas, ou insetos. Isso evita a coleta de material que deverá ser eliminado na fase de beneficiamento, o que exigiria mais mão de obra e mais gastos.

Atendimento Online
Quer Facilidade