WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Resultados da busca para "desvantagens-da-inseminacao-artificial-em-bovinos" ()

Inseminação artificial em bovinos - manejo, sanidade, nutrição e treinamento do inseminador

São muitos os fatores que determinam o sucesso de um programa de inseminação artificial em bovinos, além da aplicação da técnica em si. Os bovinos precisam estar saudáveis, bem manejados e devidamente controlados. Além disso, é fundamental o preparo ou a adaptação de instalações necessárias e o treinamento dos inseminadores. Para obter sucesso na inseminação de bovinos, deve ser dada a devida atenção a todos estes aspectos.

Inseminação artificial em bovinos: fatores que levam a ótimos resultados

Na inseminação artificial, a monta é substituída pela colocação do sêmen no aparelho reprodutivo da vaca, por meio de materiais apropriados. Um desses materiais é o aplicador, que é introduzido na vulva da fêmea, atravessando a vagina e a cérvix, permitindo a deposição do sêmen na entrada do útero. Esse sêmen é diluído para aumentar as chances de fecundação. No entanto, é preciso também que haja um óvulo fértil na vaca.

Criação de rãs - como fazer a fertilização artificial em ranários

Quando o ranicultor necessitar do cruzamento ou acasalamento de um determinado casal, e ele não puder depender do acasalamento natural, mesmo que os induzindo com hormônio, será, então, necessário promover a fertilização artificial dos gametas. O processo deverá ser feito da seguinte maneira:

Causas de problemas podais em bovinos

Nas pecuárias de corte e de leite, o casqueamento é fundamental para a manutenção do bem-estar e da boa saúde dos bovinos. Caso contrário, os animais tendem a desenvolver lesões podais que, consequentemente, comprometem o desempenho produtivo do rebanho e resultam em sérias perdas econômicas ao pecuarista.

Inseminação artificial em bovinos - curral de manejo

O curral de manejo dos bovinos a serem inseminados compreende à área cercada onde estes chegam e ficam à espera de entrarem no local onde serão contidos para realização dos respectivos procedimentos de inseminação artificial. Esse curral pode ser cercado por diferentes tipos de material, como as réguas de madeira presas a esteios de madeira ou de cordoalhas presas a esteios de concreto.

Inseminação artificial de bovinos - convencional e em tempo fixo

O mercado pecuário brasileiro vem mostrando grande crescimento desde que aqui foram introduzidos os primeiros bovinos. A fase de avanços tecnológicos, visando o aumento da produtividade e rentabilidade, continua acelerada e o progresso do setor pode ser constatado em vários indicadores econômicos.

Inseminação artificial em gado de leite - momento ideal para inseminação

O índice de prenhez por meio da inseminação artificial será alto se um esquema de observações e horários do cio for seguido à risca pelo inseminador. Do contrário, se não houver, muitos cios serão perdidos, assim como muitas doses de sêmen. Frente as dificuldades de se proceder a inseminação artificial, no horário ideal (final do cio), é recomendável, identificada a vaca em cio, seguir uma regra fixa, para determinar a hora certa de inseminar.

Inseminação artificial em bovinos - seringa, tronco de contenção e sala de apoio

A seringa é uma estrutura que normalmente é composta de várias réguas de madeira, fixadas em angulação variável com o tamanho do próprio curral de manejo de bovinos. Em outras palavras, a seringa é o local de afunilamento da cerca, em um dos cantos do curral de manejo, para fazer o gado entrar mais rapidamente. Essa estrutura conduz bois e vacas ao tronco coletivo ou ao embarcadouro. Entretanto, deve apresentar a área na forma de um trapézio, com um dos lados retos, ou semicircular, ou ainda se apresentar como ¾ de círculo, evitando, com isso, que os bovinos se comprimam para entrar no tronco.

Inseminação artificial em bovinos - tipos de embalagem para sêmen de boi

Atualmente, as embalagens de sêmen bovino mais utilizadas são as palhetas médias ou finas. Entretanto, no Brasil, as mais comuns para a inseminação de bovinos são as palhetas médias. Além destas embalagens, podemos encontrar minitubos, ampolas, ou ainda pellets, mas devido a alguns problemas, como contaminação e falta de praticidade, estes estão caindo em desuso. A palheta média é hoje mundialmente utilizada, em função das várias vantagens apresentadas em relação às demais. Ela é um pequeno tubo plástico, com 133 mm de comprimento, 2,8 mm de diâmetro e volume suficiente para 0,5 mL de sêmen.

Inseminação artificial em bovinos - botijão de nitrogênio

O botijão de nitrogênio é um recipiente térmico, com isolamento a vácuo, destinado à conservação do sêmen, sendo que, para tanto, ele deve receber nitrogênio líquido, que conserva as doses de sêmen congeladas a uma temperatura de -196ºC, por tempo indeterminado, desde que se mantenha o nível mínimo, abastecendo-o periodicamente. Este é composto de tampa, trava da tampa, apoio para a tampa, identificação do caneco em cores, sistema para retenção de vácuo, pescoço e apoio para os canecos no fundo do botijão.

Fique por dentro das novidades!