Resultados da busca para "bovinos-picado-por-cobra"

As cobras mais venenosas do Brasil

Classificar as serpentes mais venenosas do Brasil é um assunto um pouco complexo, pois temos de avaliar a quantidade de acidentes ofídicos, bem como as consequências do envenenamento. No entanto, quatro delas são bastante significativas, como a coral verdadeira, a cascavel, a surucucu e a jararaca. A coral verdadeira é a mais venenosa, embora cause apenas 1% dos acidentes com cobras no país. Em segundo lugar, está a cascavel; em terceiro, a surucucu pico-de-jaca; e, em quarto, a jararaca, responsável por mais de 80% dos acidentes no Brasil. Independente de seu tamanho, uma única picada de uma dessas criaturas pode ser tão letal quanto o ataque voraz de um grande carnívoro. Por outro lado, as serpentes (ou cobras) contribuem, e muito, para a medicina. O Captopril (hipertensão), isolado do veneno da jararaca, é um exemplo disso, além da cola para fins cirúrgicos. Daí a importância de se preservar as espécies, respeitando-as.

Como montar criação de cobras para extração do veneno

Antes de montar a criação de cobras para extração de veneno, é indispensável buscar informações sobre a legalização do negócio. O veneno de cobras é largamente utilizado na indústria farmacêutica e apresenta alto valor comercial. Os seus principais compradores são universidades, laboratórios de pesquisa e indústrias farmacêuticas.

As 10 cobras mais venenosas do mundo

As cobras venenosas dividem-se em três grupos, conforme a ação do seu veneno. O primeiro é o grupo das cobras cujo veneno age no sistema nervoso periférico, causando parada respiratória. É o caso da Taipan e da Coral Verdadeira. Já o grupo das víboras inocula substâncias tóxicas, que provocam distúrbios na coagulação do sangue, hemorragias e necrose local. Por fim, o terceiro grupo é o das serpentes marinhas, estas liberam um tipo de veneno chamado miotóxico, que causa destruição das fibras musculares e insuficiência renal aguda. Todas são extremamente letais.

Inseminação artificial em bovinos - manejo, sanidade, nutrição e treinamento do inseminador

São muitos os fatores que determinam o sucesso de um programa de inseminação artificial em bovinos, além da aplicação da técnica em si. Os bovinos precisam estar saudáveis, bem manejados e devidamente controlados. Além disso, é fundamental o preparo ou a adaptação de instalações necessárias e o treinamento dos inseminadores. Para obter sucesso na inseminação de bovinos, deve ser dada a devida atenção a todos estes aspectos.

Transferência de embriões em bovinos

A transferência de embriões em bovinos visa à multiplicação do número de bovinos nascidos de uma vaca, geneticamente superior, fecundada por um boi também superior, em um menor período de tempo. Em outras palavras, uma vaca de elevado mérito genético que, normalmente, deixaria uma cria por ano por meio de inseminação ou monta, com a TE pode produzir até 20 descendentes por ano. Isso aumenta consideravelmente a produção gerando lucro ao pecuarista.

Timpanismo em bovinos de corte

O criador de gado de corte deve estar atento a enfermidades que podem surgir nos bovinos, como o timpanismo. Esse fenômeno ocorre quando parte da flora bacteriana morre por excesso de algum determinado alimento, que, por consequência, promove a formação de gases provindos da fermentação deste. Além disso, a falta de fibra e de aditivos na dieta do bovino, que estabilizam a ruminação, podem ocasionar ou agravar ainda mais os quadros de timpanismo.

3 alimentos são fundamentais para a engorda de bois em pasto. Descubra!

Oferecer forragem de qualidade, tenra e nutritiva é o primeiro passo para um bom manejo. Esse será o objetivo básico do manejo das pastagens. “É necessário considerar, entretanto, que mesmo forrageiras de altíssima qualidade proporcionam ganho de peso moderado, em razão de ser um fator limitante a capacidade do animal de ingerir e digerir forragens

Saiba mais sobre terminação de bovinos em pasto

Produtividade e rentabilidade são os fatores que ditam o sucesso na terminação de bovinos em pasto. Entretanto, é fundamental adotar alguns cuidados, como manejo sanitário do rebanho e escolha da pastagem ideal. Da mesma forma, é indispensável avaliar a viabilidade econômica andes de implantar esse sistema na fazenda pecuária.

A técnica da fertilização in vitro (FIV) e o cultivo de embriões bovinos

A fertilização in vitro, ou FIV, é uma biotécnica utilizada como alternativa para acelerar a produção de bovinos geneticamente superiores. Junto à inseminação artificial e à transferência de embriões, a fecundação in vitro é uma técnica responsável pela rápida progressão genética, principalmente em animais de produção. A FIV permite que uma reprodutora produza centenas de bezerros em um mesmo ano. Esta técnica permite evitar o descarte precoce de fêmeas geneticamente privilegiadas, portadoras de alterações adquiridas que impeçam que a reprodução ocorra de forma natural.

Castração dos bovinos - por que deve ser feita e quais as principais técnicas

Nos primórdios, a castração dos bovinos tinha o objetivo único de acalmar os machos. Com o passar dos tempos, este procedimento passou a ser usado pelos pecuaristas visando ao aprimoramento da qualidade da carne de boi, além da sanidade dos bovídeos. Entretanto, embora algumas técnicas tradicionais não afetem o bem-estar do bovino, outras podem trazer algumas complicações, como o estresse do animal, a perda de peso, ou até a morte resultante de infecções.

Atendimento Online
Quer Facilidade