Resultados da busca para "bokashi-para-camarao"

Como fazer o composto orgânico Bokashi e qual sua função

Uma excelente alternativa de fabricação de composto orgânico concentrado é a produção de Bokashi, um tipo de composto preparado em pequenas áreas, utilizando-se EM (Effective Microorganisms) como inoculante, e outros resíduos industriais, como farelo de arroz e algodão, farinha de soja, osso e peixe, dentre outros. O Bokashi pode ser aplicado em covas, ruas, no pé da planta, a lanço, ou com calcareadeira, quando a área for muito grande. No caso de aplicação manual, deve-se tomar cuidado para que não se formem torrões muito grandes.

Bokashi orgânico: o que é, como preparar e como aplicar

Há tempos, quanto não existiam fertilizantes químicos, utilizavam-se tortas e farelo de oleaginosas como adubos orgânicos, incorporando-os ao solo. Nesse processo, porém, há rápida decomposição de proteínas, gorduras e açúcares, desprendendo-se gases e calor como consequência do processo de fermentação. Isso, por sua vez, causa problemas de deficiência de oxigênio no solo, assim como desprendimento de calor, o que prejudica as raízes das plantas.

Larvicultura do camarão - conheça sobre o cultivo de larvas de camarão

Para realizar a larvicultura do camarão, o carcinicultor deve ter disponível água salgada e doce, que são misturadas de forma adequada, antes de serem fornecidas aos tanques de cultivo de camarões. Quando a propriedade situa-se longe da costa, a aquisição da água salgada encarece muito a produção. Nesse caso, utilizam-se sistemas fechados de circulação, que reciclam a água salobra, que pode ser preparada com a fórmula de água do mar artificial, indicada às propriedades situadas a mais de 600 km do litoral. Para distâncias menores, é mais interessante transportar a água do mar natural.

Camarão, riqueza das águas

Os cultivos de camarões marinhos tiveram início no Brasil entre os anos de 1972 e 1974. Porém, somente 20 anos depois, com a popularização dos cultivos de uma espécie exótica, o camarão-branco do Pacífico, Litopenaeus vannamei, é que a atividade começou a deslanchar no país.

Tecnologia na criação de camarão de água doce gera índices de produtividade elevados

A aquicultura produz alimentos de considerável valor econômico que a torna uma atividade interessante para o produtor, além do elevado valor proteico, beneficiando o consumidor. Nesse contexto, uma das categorias cuja exploração vem despertando grande interesse, é a do camarão. A produção mundial de camarões atinge 2.200.000 toneladas anuais, ressaltando-se que, atualmente, 50% dos camarões consumidos são oriundos da carcinicultura, contra apenas 6% na década passada, sendo que os cultivados em água doce contribuem com cerca de 5% de toda cultura.

Camarão marinho tem mercado e preços atrativos para os produtores

A produção de camarões marinhos, em ambiente de cultivo no Brasil, tem se expandido rapidamente nos últimos 20 anos. Essa evolução tem se dados a passos muito largos, em um processo dinâmico e rápido, devido ao clima favorável, somado ao domínio de novas tecnologias de produção, que colocam o país como o principal produtor de camarões das Américas. Em poucos anos, a atividade se popularizou, deixando de ser um negócio apenas para grandes investidores e se tornando atrativa também para pequenos produtores.

Larvicultura do camarão - como ocorre o acasalamento dos camarões

Podemos iniciar a larvicultura do camarão com lotes de reprodutores ou diretamente com fêmeas ovadas. Quando já se dispõe de um plantel de camarões adultos, é possível e importante realizar uma seleção rigorosa dos reprodutores escolhendo os camarões que produzem maior número de ovos e as larvas que apresentam maior número de carne e maior precocidade. A maioria dos carcinicultores usam algumas fêmeas de camarão ovadas, escolhidas nos viveiros de engorda. Embora mais prático, esse método impede o aumento da produtividade por meio da melhoria do plantel.

Larvicultura do camarão - como ocorre a incubação e a eclosão dos ovos

As fêmeas do camarão são fertilizadas pelo macho após sofrerem a muda pré-nupcial. Em algumas horas, os óvulos são liberados e fertilizados após passarem pelo espermatóforo e se fixam sob o abdome até a eclosão. As fêmeas, quando ovadas, são retiradas e levadas para os tanques de manutenção de matrizes, onde são alimentadas e examinadas diariamente.

Larvicultura do camarão - manejo dos cistos de Artêmia e dos náuplios

Para preparar 40 litros de água de Artêmia, dissolva, separadamente, 320 gramas de sal grosso e 80 gramas de bicarbonato de sódio, em água doce. A salinidade desta água ficará em torno de 12 por cento. Quanto aos cistos, estes podem ser colocados, diretamente nos tanques de Artêmia, sem sofrerem o processo de descapsulação. No entanto, a eclosão e a quantidade de náuplios serão menores.

Larvicultura do camarão - como é feito o transporte das larvas

As pós-larvas devem ser transportadas em sacos plásticos resistentes, preenchidos com água dos próprios tanques de manutenção das pós-larvas, para evitar choque de temperatura, pH ou qualquer outro parâmetro negativo. Pode-se colocar 200 pós-larvas de camarão por litro de água. No entanto, o ideal é manter a proporção de 1/3 de água para 2/3 de água, possibilitando que o oxigênio contido na camada gasosa se dissolva, à medida que vai sendo consumido pelas pós-larvas.

Atendimento Online
Quer Facilidade