WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Resultados da busca para "biodiesel" ()

Biodiesel - uma alternativa para a redução da importação de diesel

A utilização do biodiesel oriundo do craqueamento pode ser feita em motores do ciclo diesel, puro ou em mistura, nas mais diversas proporções, com o diesel de petróleo. Como padrão, é empregada uma nomenclatura para identificar a concentração de biodiesel na mistura com óleo diesel. O biodiesel pode ser B5, B20, B100, entre outros, englobando combustíveis com uma concentração de 5%, 20% e 100% de biodiesel puro, respectivamente. Em uma acepção geral, usa-se a nomenclatura BX, onde X refere-se à porcentagem em volume do biodiesel.

Desafios da produção de biocombustível no Brasil

O biodiesel, que é uma fonte alternativa de energia renovável e ecologicamente correta, poderá se tornar um importante instrumento de desenvolvimento socioeconômico e regional. O processo de produção do biodiesel já se encontra consolidado no Brasil. As tecnologias de processamento das diversas matérias-primas estão bem desenvolvidas. Para a otimização do "lead time" da cadeia produtiva do biodiesel é de fundamental importância a harmonização das interfaces do sistema logístico. A integração entre os diversos elementos da cadeia de produção de biodiesel é fator preponderante para que o seu uso e produção sejam efetivos e eficientes, com preços competitivos, na entrega do produto ao consumidor final.

Biodiesel - parâmetros de qualidade

Como sabemos, o biodiesel pode ser utilizado diretamente, ou em misturas em motores diesel convencionais, pois as moléculas produzidas pelo craqueamento de óleos vegetais são muito semelhantes às do diesel de petróleo. Sendo assim, o biodiesel produzido pelo craqueamento, ou piro-diesel, é muito semelhante quimicamente ao diesel de petróleo. Portanto, as análises do biodiesel são feitas seguindo as mesmas metodologias usadas para o diesel de petróleo.

Biodiesel - o acelerador da economia brasileira

O combustível extraído de vegetais, como mamona, soja, entre outros, atualmente, vem se mostrando uma ótima alternativa para reduzir a emissão de poluentes na atmosfera terrestre. Conhecido como biodiesel, este combustível vegetal vem apresentando uma tendência crescente de expansão, devido a uma maior conscientização do governo e da população de diversos países, bem como do estabelecimento de acordos internacionais para um mundo livre de poluição.

Cadeia produtiva do biodiesel

Os elos da cadeia de produção do biodiesel a partir de óleos vegetais são: a produção do grão, a extração do óleo, a produção do biodiesel a partir do óleo bruto, a distribuição e a revenda ao consumidor. Há também a possibilidade de comercializar os subprodutos do processo (torta e farelo) ou aproveitá-los em outras atividades (PARENTE, 2003).

Biodiesel - processo de craqueamento de óleos vegetais

Há décadas, o craqueamento de óleos vegetais deixou de ser novidade. Isso vem desde o século XIX, quando o processo também tinha o nome de pirólise. Já como combustível, tal processo só se iniciou em 1920. Com o auge da Segunda Guerra Mundial, os chineses tornaram-se pioneiros na fabricação de combustível a partir do craqueamento do óleo de tungue, vegetal produzido em grande escala na China. Assim surgiu o biodiesel.

Coco macaúba é mercado em expansão na produção de biodiesel e preservação ambiental

Devido às suas qualidades edafoclimáticas, localizando-se em uma região de clima tropical, com altas taxas de luminosidade e temperaturas médias anuais, com grande disponibilidade hídrica e regularidade de chuvas, o Brasil torna-se o país com maior potencial para produção de energia renovável.

Produção do biodiesel e as bases tecnológicas de sua cadeia

Quimicamente falando, os biocombustíveis são considerados uma composição de ésteres etílicos ou metílicos de ácidos graxos de cadeia longa. O processo mais comum para sua produção é a reação de óleo vegetal ou gordura animal com um álcool. A presença de um ácido, uma base ou enzima incentiva a reação, sendo usada como catalisador. Esse processo é conhecido, na indústria, por transesterificação, que proporciona, além do biodiesel, a glicerina. O álcool mais utilizado nessa produção é o metanol, devido ao alto custo do etanol, por isso o processo é conhecido como transesterificação metílica. Essa é a tecnologia mais utilizada no mundo, mas, no Brasil, há algumas usinas que utilizam a rota etílica (CHING e RODRIGUES, 2006).

Avanços e estruturação do biodiesel no Brasil

O primeiro segmento à montante da cadeia produtiva do biodiesel, obtido a partir de oleaginosas, é o setor agrícola, que engloba a produção de diferentes plantas oleaginosas. Esse setor, por si, é parte do complexo agroindustrial de produção de óleo vegetal.

Produção de biodiesel em propriedades agrícolas

A Lei No 11.097, de 13 de Janeiro de 2005, que introduziu o biodiesel na matriz energética brasileira, define este combustível como sendo renovável e biodegradável, para motores à combustão interna com ignição por compressão, derivado de óleos vegetais ou de gorduras animais, que pode substituir parcial ou totalmente o óleo diesel de origem fóssil. Pode ser usado em motores ciclo diesel, na sua forma pura ou misturado com diesel de petróleo, em diversas proporções, sem a necessidade de qualquer modificação nos motores.

Fique por dentro das novidades!