Resultados da busca para "adubo-caseiro-para-acerola"

Produção de acerola - tipos de irrigação e de adubação

Para que um pomar de acerola tenha boa produtividade, o produtor deverá seguir a algumas orientações funcionais, principalmente no que diz respeito à irrigação e a adubação. Estes dois fatores garantem o sucesso da investida e geram bons lucros ao produtor rural. Portanto, é necessário que ele nunca se descuide da sua produção, mantendo em ordem o manejo das plantas.

Produção de acerola - tutoramento, podas, implantação de quebra-ventos e capina

A acerola, também conhecida como cereja das Antilhas, é uma das frutas que mais têm despertado o interesse dos produtores brasileiros. Trata-se de uma cultura perene, que produz durante praticamente o ano inteiro, e seu cultivo pode ser encontrado em todas as demais regiões do Brasil, porém, com menos intensidade nas regiões sul e sudeste, devido às baixas temperaturas durante o inverno. Entre as inúmeras frutíferas exploradas comercialmente no País, ela está entre as mais procuradas pelo mercado consumidor, devido ao seu alto grau de Vitamina C, outras vitaminas e sais minerais essenciais ao homem. Seja em forma de suco ou "in natura", é crescente a demanda por esta fruta e é exatamente esta grande procura do consumidor que faz com que os produtores invistam cada vez mais nesta cultura. Os custos de implantação, manutenção e produção de um pomar de aceroleira variam de acordo com o local onde ele será instalado, a finalidade da produção e os tratos culturais adotados. Portanto, caberá aos produtores tomar todos os cuidados possíveis para que a produção tenha muito sucesso. Entre os tratos culturais indispensáveis à produção, citam-se o tutoramento, as podas, a implantação de quebra-ventos e a capina.

Recomendação de adubação

A adubação tem como objetivo principal manter ou aumentar a quantidade de nutrientes do solo, de tal forma que as deficiências do solo, em virtude da natureza do material de origem, do clima e do manejo, sejam resolvidas. “Quanto à recomendação de adubação, normalmente a tarefa consiste em estabelecer em que classe de teor está o resultado da análise, o que conduz as quantidades de P2O5 e K2O a serem aplicadas”, afirma Eurípedes Malavolta, professor responsável pelo Curso a Distância CPT Análise de Solo e Recomendação de Calagem e Adubação, em Livro+DVD e Curso Online. As quantidades de fertilidade recomendadas são específicas para cada cultura e divididas em adubação de plantio e cobertura.

Adubo orgânico líquido (Tenkei-jiru)

Geralmente, as plantas se desenvolvem em harmonia com a natureza, apresentando nas superfícies das folhas e nas rizosferas microrganismos benéficos a elas. Entretanto, em condições adversas, os microrganismos se enfraquecem e sua população se reduz, prejudicando o seu desenvolvimento normal. Para sanar esse mal, os adubos líquidos caseiros, aplicados nas folhas ou no solo, fortalecem os microrganismos debilitados, fornecendo a eles hormônios, sais minerais, vitaminas e outros ingredientes nutritivos. Como resultado, a planta volta a se desenvolver novamente.

Adubação orgânica e química do solo

A adubação orgânica e química do solo tem como objetivo principal manter ou aumentar a quantidade de nutrientes do solo, de tal forma que suas deficiências, em virtude da natureza do material de origem, do clima e do manejo, sejam sanadas. Quanto à recomendação de adubação, normalmente, a tarefa consiste em estabelecer em que classe de teor está o resultado da análise, o que conduz as quantidades de P2O5 e K2O a serem aplicadas. As quantidades de fertilidade recomendadas são específicas para cada cultura e divididas em adubação de plantio e de cobertura.

Adubador manual de cobertura: construa o seu!

O adubador manual de cobertura é um equipamento muito simples, de fácil construção, e permite que a adubação de cobertura seja realizada de forma mais eficiente e agradável para o operador. “Em média, uma pessoa, trabalhando 8 h/dia, poderá adubar entre 0,5 e um hectare. Além disso, trata-se de uma máquina que não provoca nenhum dano à cultura”, afirma Dr. Afonso Peche Filho, professor do Curso a Distância CPT Mecanização em Pequenas Propriedades, em Livro+DVD e Curso Online.

Produção de acerola - principais variedades comerciais

As acerolas são classificadas, segundo suas variedades, em doces e ácidas. As ácidas são mais ricas em Vitamina C e são indicadas para a industrialização, enquanto as variedades de frutos doces são indicadas para o consumo in natura. Seu nome científico é Malpighia glabra e tem sua origem nas Antilhas, norte da América do Sul e América Central. O tamanho da planta varia entre dois e três metros de altura, seus ramos são densos e espalhados, com folhas opostas, de pecíolo curto. Suas flores se formam em pequenas pencas axilares pedunculadas, com três a cinco flores perfeitas, com cores que vão do rosa esbranquiçado ao vermelho. Seus frutos têm formas bastante variáveis. Quando maduros, sua cor pode ser vermelha, roxa ou amarela. Os frutos que crescem isolados ficam de tamanho maior do que aqueles que crescem em cachos. Manoa Sweet, Tropical Ruby, Hawaiian Queen, J. H. Beaumont, C. F. Rehnborg, F. Haley Red Jumbo e Maunawili são as variedades, doces e ácidas, mais cultivadas comercialmente no Brasil.

Produção de acerola abastece o mercado interno e externo

A acerola é uma das frutas mais apreciadas no Brasil. Com um teor de vitamina C cem vezes maior do que o da laranja, a acerola tem despertado o interesse de muitos consumidores e, consequentemente, tem sido uma ótima opção de cultivo para os produtores agrícolas. Um ponto bastante positivo em relação ao cultivo de acerola no Brasil são os solos em condições perfeitas para a agricultura, permitindo, inclusive, que o país seja destaque na produção mundial de frutas "in natura".

Formas de utilização prática dos adubos verdes

Na adubação verde, incorpora-se ao solo massa vegetal não decomposta, de plantas cultivadas no local ou importadas, visando preservar e/ou restaurar a produtividade das terras agricultáveis. Por muito tempo, a adubação verde caracterizou-se pelo uso de leguminosas, visando-se à melhoria da produtividade das culturas, pela adição do nitrogênio, ciclagem mais eficiente de nutrientes e melhoria física e biológica do solo.

A indústria caseira de figo cristalizado evita o desperdício da fruta e gera renda ao produtor rural

A indústria caseira de alimentos cristalizados, entre eles o figo, constitui um excelente empreendimento como forma de apoio ao desenvolvimento da agricultura familiar. A atividade possibilita, além acabar com o desperdício de frutas, gerar uma fonte de renda extra às famílias, agregar valor ao produto, resgatar tradições e, ainda, valorizar os produtos regionais. Para aqueles que querem fazer um melhor aproveitamento da produção e ainda ganhar um dinheiro extra ao final do mês, uma boa dica é a fabricação caseira do figo cristalizado. Veja o passo a passo abaixo e mãos à obra!

Atendimento Online
Quer Facilidade