Resultados da busca para "a-o-papel-do-educador-no-processo-curricular-e-dispensavel-porque-o-aluno-e-o-grande-artifice-da-construcao-dos-curriculos-que-se-materializam-nas-escolas-e-nas-salas-de-aula"

Tipos de aula e seus respectivos conceitos

Há diversos tipos de estratégias que um professor pode usar em sala de aula para levar adiante seu trabalho. Ao ministrar as aulas, o professor torna-se o principal protagonista, ou seja, torna-se o principal elemento de apoio ao aprendizado. Entretanto, cada aula se diferencia na forma como é preparada e, posteriormente, conduzida. Entre os tipos de aula, temos o colóquio, o seminário, a aula expositiva, a aula dialógica, a aula magistral, a aula demonstrativa e a aula prática.

O que faz o aluno abandonar as aulas?

Um motivo considerado de grande peso que leva o aluno ao abandono às aulas é o currículo escolar que é um dos pontos mais complexos a serem enfrentados pelas escolas. As instituições seguem as orientações formais dos Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN, além da adoção dos livros, apostilas didáticas e material de apoio. Mas, muitas vezes, não existe uma conectividade do projeto pedagógico com a realidade do estudante, não havendo, de fato, um diálogo com seu universo.

Professor - como ensinar bem para os alunos aprenderem mais em sala de aula

Em sala de aula, o ensino deve ser visto como um processo dinâmico, no qual a participação do aluno nas aulas é fundamental para o seu aprendizado. Para auxiliar os professores nesta tarefa, atingindo principalmente aqueles que menos aprendem, existe uma grande variedade de formas de como uma informação pode ser levada até o aluno, nas quais diversos canais representacionais podem ser combinados.

Inclusão escolar: o que dizer sobre isso?

Incluir não significa apenas receber o aluno com deficiência nas escolas comuns. Educar de forma inclusiva é encontrar um caminho pedagógico para alcançar o aprendizado de cada aluno individualmente, já que as deficiências interferem diretamente no processo de ensino-aprendizagem. "Se não houver boa vontade por parte dos envolvidos no processo de inclusão escolar da pessoa com deficiência, qualquer aparato legal não tem valor", afirma Emiliane Rezende, professora do Curso a Distância CPT Educação Inclusiva e Educação Especial, em Livro+DVD e Curso Online.

Como proteger o patrimônio das escolas e evitar furtos internos

É muito comum ouvirmos relatos sobre furtos acontecidos em estabelecimentos escolares, públicos ou privados, em todo o país. Estes furtos, em sua maioria, são pequenos e realizados dentro das dependências das instituições de ensino, pelo seu próprio público interno. Muitas vezes, por não haver rígido controle sobre os bens escolares, esses furtos causam grandes prejuízos às escolas, o que evidencia ser extremamente importante a implantação de um rígido sistema de controle interno, no qual medidas simples são colocadas em prática pela administração escolar, a fim de proteger, ao máximo, seu patrimônio. Veja algumas delas abaixo:

A inclusão de alunos deficientes nas escolas trouxe benefícios?

A inclusão de alunos com deficiência nas escolas comuns trouxe muitos benefícios para a comunidade escolar e para a sociedade como um todo, pois “forçou” um contato entre as pessoas com deficiência e sem deficiência que provavelmente não aconteceria, se os primeiros continuassem sendo educados nas escolas especiais, afirma Emiliane Rezende, professora do Curso a Distância CPT Educação Inclusiva e Educação Especial, em Livro+DVD e Curso Online.

Como proteger as escolas contra furtos e assaltos

Sabe-se que qualquer local onde existe grande concentração e movimentação de pessoas está vulnerável a ocorrências capazes de comprometer a segurança do ambiente. As escolas, por apresentarem essas características, estão, certamente, expostas a esses riscos e perigos. Dados estatísticos comprovam que os furtos e assaltos contra estabelecimentos de ensino vêm crescendo a cada dia. Os furtos podem ser divididos em internos e externos. No primeiro caso, os furtos são praticados pelo público interno, ou seja, funcionários, professores ou alunos. No segundo caso, os furtos são praticados por pessoas que entram no estabelecimento com o objetivo de furtar. Já os assaltos e arrombamentos são praticados por criminosos profissionais, que planejam e executam a operação criminosa. Para piorar ainda mais a situação, some-se a isto o crescimento alarmante dos índices de criminalidade em todo o país, com práticas como tráfico de drogas, sequestros e crimes dos mais variados tipos, o que permite concordar com a real e imediata necessidade de se criar sistemas de segurança capazes de proteger o ambiente escolar, incluindo professores, alunos e funcionários.

Segurança nas escolas - dicas para evitar ações criminosas nos estabelecimentos escolares

Escolas em todo o país estão sendo alvo de ações criminosas, constatando que furtos e arrombamentos são cada vez mais frequentes. Tudo aquilo que valha algum dinheiro é alvo dessas invasões e entre os objetos de maior interesse dos bandidos, além do dinheiro, listam-se os equipamentos de informática, produtos de consumo duráveis e não duráveis, como a merenda escolar, pratos, talheres, panelas e, acreditem, até mesmo as informações particulares sobre os alunos, através de crimes cometidos pelo computador. Por isso, é importante que a escola mantenha um sistema de segurança de dados e treine seu pessoal nessa área. Com este último exemplo, então, observa-se que a ação criminosa já ultrapassou a barreira dos muros, cadeados e grades. Sendo assim, é um erro acreditar que a ação é praticada apenas por ?figurinhas carimbadas?, como moradores de rua, assaltantes comuns e usuários de droga. Devido à tantas mudanças no ?perfil? dos roubos e assaltos, algumas precauções devem ser tomadas pelas administrações escolares, a fim de evitar que as escolas sejam alvos e lesadas por bandidos. Veja as dicas abaixo:

A importância do uso de novas tecnologias em sala de aula

O mundo está passando por uma grande transformação digital, com a presença cada vez mais forte de novas tecnologias em todos os momentos de nossa vida. A educação precisa andar junto a essa transformação, aderindo a essas tecnologias e implementando-as dentro de sala de aula, de forma a tornar o aprendizado dos alunos mais interessante e dinâmico.

Gestão da sala de aula refere-se à administração de procedimentos rotineiros

Quem busca estudar ou encontrar mecanismos de gerenciar e monitorar uma sala de aula vive uma situação recorrente, ainda que não-predominante, nas escolas do Brasil e de diversas partes do mundo: possui na sala de aula alunos com dificuldades de aprendizagem, por falta de incentivo familiar ou escolar; com problemas psíquicos, psicológicos e mesmo físicos. Há alunos com autoestima em baixa; oprimidos e apáticos; fechados em si mesmos e com dificuldade de relacionamento com os colegas e professores; hiperativos; indisciplinados, agressivos e mesmo violentos.

Atendimento Online
Quer Facilidade