WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Dia do Cliente

Vai criar ovinos de corte em pasto? Atenção especial às forrageiras!

A produção por animal depende não apenas do valor nutritivo das forrageiras disponíveis na pastagem, como também da capacidade de consumo

Vai criar ovinos de corte em pasto? Atenção especial às forrageiras!   Artigos Cursos CPT

 

A produção por animal depende não apenas do valor nutritivo das forrageiras disponíveis na pastagem, como também da capacidade de consumo. “O valor nutritivo envolve a concentração de nutrientes da planta, bem como sua digestibilidade, ou seja, a fração do material ingerido, verdadeiramente aproveitada”, afirma Edson Ramos de Siqueira, do Curso a Distância CPT Alimentação de Ovinos de Corte.

Segundo MINOLA(1972), 70-80% do aumento de produção, quando o animal passa de uma dieta de baixa para outra de alta digestibilidade, se explica pela elevação da ingestão voluntária; 10% a 30% deve-se ao valor nutritivo. Portanto, a capacidade de consumo reveste-se de capital importância, citando-se quatro fatores que a afetam sobremaneira: aceitabilidade do alimento, velocidade de passagem pelo trato gastrintestinal, disponibilidade de matéria seca e efeito do ambiente sobre o animal.

A busca de alimentos, principalmente forrageiras, com boa aceitabilidade é fundamental. A ingestão por parte de um ovino, pastejando relvados com plantas de sua preferência, é sempre superior. Este é um campo que demanda mais estudos, sobretudo no que diz respeito às forrageiras tropicais. A velocidade de passagem depende dos teores de fibra do alimento e da composição dessa fibra. Quanto mais fibroso o alimento, menor a velocidade de passagem e, consequentemente, a ingestão.

A disponibilidade de matéria seca na pastagem se associa com outros fatores, como a altura do relvado, a morfologia da planta e sua composição química, para determinar o tamanho e o número de bocados. Quanto mais fácil for a colheita do alimento na pastagem, menores serão o tempo de pastejo e o gasto energético e maior a ingestão.

Em trabalho citado por MINOLA (1972), ovinos ingeriram 880 g de matéria orgânica/dia, em 11 horas de pastejo, e 1.260 g, quando o tempo se reduziu para 7 horas. O mesmo autor verificou que numa altura de relvado de 4,2 cm, o tempo de pastejo foi de 10,6 horas, tendo caído para 6,5 horas com plantas de 15,5 cm. Há que se considerar, ainda, uma característica comportamental marcante do ovino, que é a seletividade. Ao pastejar, ele sempre busca as melhores partes da planta, redundando em dieta com maior valor nutritivo.

Aprimore seus conhecimentos sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) a seguir:


- Criação de ovinos: como desmamar cordeiros?
- Por que devo me preocupar com a nutrição das ovelhas?

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos a Distância CPT da área Criação de Ovinos.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!