WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Reabilitação ortopédica animal. Quando indicar?

Na fisioterapia, são candidatos à reabilitação animais com problemas ortopédicos, neurológicos e corpóreos

Reabilitação ortopédica animal. Quando indicar?   Artigos CPT

O fisiatra deve fazer um exame clínico detalhado em todos os animais que chegam à clínica de fisioterapia. O exame clínico geral deve ser feito mesmo em pacientes que chegam com o diagnóstico fechado ou que já passaram por cirurgia. Durante o exame clínico geral é necessário avaliar o(a):


• Pele
• Batimentos cardíacos
• Movimentos respiratórios
• Peso
• Linfonodos
• Abdômen

"Na fisioterapia, são candidatos à reabilitação animais com problemas ortopédicos, neurológicos e corpóreos", explica Ana Carolina Silva Faria, professora do Curso CPT Fisioterapia e Reabilitação Animal.

Animais com problemas neurológicos, tais como hérnias de disco ou fraturas vertebrais são passíveis de perder o movimento dos membros pélvicos e torácicos. Esses pacientes podem ou não passar por cirurgias, mas é sempre necessário fazer o tratamento por meio da fisioterapia e reabilitação para que retomem a postura e os movimentos naturais.

Animais com problemas ortopédicos, como fraturas, a fisioterapia e a reabilitação são indicadas para que o paciente não sofra enrijecimento e degenerações articulares.

Os animais com problemas de obesidade, por sua vez, necessitam de atenção especial, já que há risco de sobrecarga articular durante a execução de exercícios. É necessário fazer o acompanhamento de peso do paciente e trabalhar juntamente com profissionais da área de nutrição para promover o emagrecimento dos animais.

Observe como deve ser feito o acompanhamento dos pacientes em períodos específicos diante da necessidade de cirurgia e em pacientes aos quais a cirurgia ainda não foi indicada:


• Pré-operatório: nesse período, o fisioterapeuta deve trabalhar a condição corpórea do animal para que possa receber a cirurgia, atentando para a ocorrência de fraturas, consolidações ósseas, inflamações e buscando fortalecer a musculatura do paciente.

• Transoperatório: corresponde ao período logo após a cirurgia. Nesse curto intervalo de tempo, o tratamento pode ocorrer ainda no bloco cirúrgico por meio de crioterapia, massagens e tratamentos para a dor.

• Pós-operatório: período que se inicia no dia seguinte após a cirurgia. Podem ser trabalhados choques para dor (TENS), crioterapia para evitar edemas ou inflamações exuberantes que atrapalham o pós- operatório dos pacientes.

• Tratamento conservador: ocorre em pacientes não submetidos à cirurgia, mas que são indicados para a fisioterapia e reabilitação com o objetivo de estabilizar quadros clínicos e evitar a ocorrência de inflamações exuberantes ou dor aguda.

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Gostou do assunto? Leia a(s) matéria(s) abaixo:


O uso da termoterapia na fisioterapia e reabilitação animal

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!