WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Horta - como plantar Jiló (Solanum aethiopicum)

Horta - como plantar Jiló.

 

O Jiló (Solanum gilo) é uma planta anual, de origem desconhecida. Contém grandes quantidades de sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro, além das vitaminas B5 e C. É muito utilizado em regimes alimentares devido seu baixo valor calórico, além de ser estimulante do metabolismo hepático e regulador do sistema digestivo. Também é utilizado para tratamento contra resfriados.

O Jiló é uma planta de clima tropical e subtropical, e pode ser cultivado em climas temperados amenos. A produtividade do Jiló é proporcional à temperatura ambiente que deve estar sempre próxima de 30°C.

Por ser muito sensível ao frio, a melhor época para o plantio será de agosto a fevereiro. Gosta de muita exposição solar. Tem preferência por solos de textura areno-argilosa, profundos, ricos em nutrientes e matéria orgânica, com boa drenagem e ligeiramente ácidos com o pH variando entre 5,6 e 6,6.

As suas necessidades de água são medianas, embora no caso da falta de chuva, as irrigações devem ser mais frequentes na fase de fixação das mudas ao solo.


Como plantar Jiló

As sementes são plantadas em canteiros, sementeiras ou em copinhos feitos de papel jornal com aproximadamente 10 cm de altura por 5 ou 6 cm de diâmetro. As mudas de Jiló são transplantadas quando têm 6 folhas definitivas, estando com aproximadamente 15 cm de altura nesta ocasião.

O jiloeiro necessita de alta luminosidade e deve receber luz solar direta ao menos por algumas horas diariamente.  

Os espaçamentos entre plantas, dependendo da variedade, variam entro os 80 cm a 1 metro entre plantas e de 1,2 a 1,8 metros nas entre linhas.

Por ser uma cultura rústica, em relação às demais solanáceas, o Jiló é menos exigente em nutrientes e mais tolerante à acidez, motivo pelo qual geralmente não se fazem aplicações de calagem para o seu cultivo. Desenvolve-se bem em solos de textura areno-argilosa, embora apresente bons rendimentos e capacidade de adaptação a variados tipos de solo.

Por ser uma cultura intolerante ao excesso de água exige solos bem drenados e cuidados na irrigação.

Em relação à necessidade de calagem, de acordo com a análise de solo recomenda-se fazer a correção do mesmo quando estiver com pH abaixo de 5,5 e o teor de alumínio for superior a 0,2 cmolc/dm³. O preparo é caracterizado por uma aração e/ou gradagem de maneira que fique bem nivelado e fofo. Após o seu preparo, deve-se fazer o preparo das covas e as adubações orgânica e química, baseadas na análise de solo, sendo que ambos os procedimentos devem ser feitos com antecedência ao plantio das mudas.

A colheita dos frutos começa de 90 a 100 dias após a semeadura e pode continuar, pelo menos, por mais três meses. Os frutos são colhidos geralmente imaturos, ainda totalmente verdes. Quando maduros os frutos ficam vermelhos ou alaranjados, com a pele mais firme e espessa, e ainda mais amargos.

Aprimore seus conhecimentos acessando os Cursos CPT, da área Horticultura, entre eles o Curso Horta Caseira - Implantação e Cultivo, elaborados pelo Centro de Produções Técnicas.

Entre os mais comuns, fáceis de serem cultivados e manejados, listam-se os seguintes vegetais listados nos links de referência abaixo. Clique e confira!

Horta - vegetais cultivados em pequena quantidade para o consumo próprio

Abobrinha (Cucurbita pepo L.)

Acelga (Beta vulgaris cicla)

Agrião (Nasturtium officinale)

Alcachofra (Cynara cardunculus subsp scolymus)

Alface (Lactuca sativa)

Alho Poró (Allium porrum)

Almeirão (Cichorium intybus)

Aspargo (Asparagus setaceus)

Bardana (Arctium lappa)

Batata (Sclanum tuberosum)

Berinjela (Solanum melongena)

Beterraba (Beta vulgaris)

Brócolis (Brassica oleracea)

Cebola (Allium Cepa L.)

Cenoura (Daucus carota)

Chicória (Cichorium endivia)

Chuchu (Sechium edule)

Couve (Brassica oleracea)

Couve-flor (Brassica oleracea var. botrytis L.)

Ervilha (Pisum sativum)

Espinafre (Spinacia oleracea)

Fava (Vicia faba)

Grão-de-bico (Cicer arietinum L.)

Inhame (Colocasia esculenta)

Mandioca (Manihot esculenta Crantz)

Mandioquinha (Arracacia xanthorrhiza)

Mostarda (Sinapis alba)

Nabo (Brassica rapa L.)

Ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata Miller)

Pepino (Cucumis sativus)

Pimentão (Capsicum annuum)

Quiabo (Abelmoschus esculentus)

Rabanete (Raphanus sativus)

Repolho (Brassica oleracea var. Capitata L.)

Serralha (Sonchus oleraceus)

Taioba (Xanthosoma sagittifolium)

Tomates (Solanum lycopersicum)

Vagem (Phaseolus vulgaris)

Por Silvana Teixeira

Fontes: Hortamiga, nplantas, Portal do Jardim, Globo Rural, Globo Rural, Jardinaria, O Meu Jardim, Site Unimed, Frutas no Brasil, Saberes do Jardim, Vovó que ensinou, Horta em Casa, Como Fazer Tudo, Portal São Francisco

Horta - como plantar Jiló (Solanum aethiopicum)

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Ivone Landmann

9 de jul. de 2013

Boa Noite fiquei feliz vocês tem bastante novidade, fiquei bem interessada por fazer curso de plantio de mudas.

Resposta do Portal Cursos CPT

10 de jul. de 2013

Olá, Ivone!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Nossas consultoras entrarão em contato para mais informações sobre o curso Horta Caseira.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!