WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Criação de equinos: controle de endoparasitas

O controle de endoparasitas tem como principais objetivos reduzir a carga parasitária tanto do animal quanto do meio ambiente e evitar as doenças e consequências orgânicas dos endoparasitos

Criação de equinos: controle de endoparasitas   Artigos CPT

Um tema muito discutido por médicos veterinários quando a pauta é o Plano de Biosseguridade para equinos é o controle de endoparasitas. “É importante ressaltar, nesse momento, que o controle de endoparasitas tem como principais objetivos reduzir a carga parasitária tanto do animal quanto do meio ambiente e evitar as doenças e consequências orgânicas dos endoparasitos”, afirma Maria Gazzinelli Neves, Professora do Curso CPT Doenças de Equinos.

Para garantir o controle profilático de endoparasitas é necessário atentar para as seguintes medidas:


- Manejo rotacionado com outras espécies, intercalando período de pastejo de equinos com bovinos, por exemplo;
- O manejo rotacionado permite alteração da carga parasitária no ambiente de pastejo;
- Remoção das fezes de piquetes com alta taxa de lotação;
- Gradear o pasto e fazer a fragmentação do bolo fecal para propiciar a dessecação de ovos ou larvas;
- Evitar a superlotação de pastagens;
- Não utilizar as fezes equinas como adubo em pastagens que serão utilizadas por equinos;
- A adubação de pastagens destinadas a equinos deve ser feita com fezes de outros animais, por exemplo: bovinos, ovinos, etc;
- Calendário sanitário baseado no Número de Ovos por Grama de Fezes – OPG;
- OPG ideal < 200.

Em geral, os proprietários ou criadores de equinos têm em mente que devem vermifugar o plantel de 3 em 3 meses ou de 4 em 4 meses. Mas esquecem de fazer o controle do OPG na propriedade com o auxílio de um Médico Veterinário. Dependendo do resultado da OPG, é necessário reduzir ou aumentar o período de tempo entre as vermifugações. Por exemplo, quando se tem uma OPG ideal ou menor que 200 ovos por grama de fezes, o período entre as vermifugações pode ser estendido.

Atenção:
Deve-se também alternar as bases antiparasitárias utilizadas para controle de endoparasitas no plantel. A associação de bases é fundamental para evitar a resistência helmíntica aos antiparasitários. Exemplos de bases antiparasitárias para equinos: Lactonas macrocíclicas (LMs) (avermectinas e milbemicinas) entre as quais a mais utilizada é a Ivermectina.

Recomendações gerais ou protocolos mais utilizados:


- Potros: a partir do 15o dia de vida e, posteriormente, a partir de 60 dias ou a cada 2 meses;
- Éguas: entre 30 a 14 dias pré-parto e, posteriormente, a cada 3 a 4 meses;
- Potrancos: a cada 3 a 4 meses;
- Animais de baia: de acordo com o nível de OPG.

Atenção:
Os vermífugos podem ser aplicados em pasta (via oral) ou injetáveis. A vermifigação deve levar em conta o desafio do animal, o nível de OPG e as medidas de biosseguridade adotadas ou não, de acordo com a realidade da propriedade rural.

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Gostou do assunto? Leia a(s) matéria(s) abaixo:


 - Doença da raiva em cavalos? É possível isso?

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!