Atendimento Online
Professores Especializados! O Grande Diferencial do Curso CPT. Desperte seus sonhos e construa uma história de sucesso com o Curso CPT.


    / / Saiba como combater as pragas e doenças da produção de maracujá
    Notícias sobre diversas áreas do conhecimento

    Saiba como combater as pragas e doenças da produção de maracujá

    O pulgão está na lista negra dos agricultores. A morte prematura é a que propicia maior problema fitossanitário da cultura

    Gostou? Envie a um amigo
    Tamanho da letra Diminuir Aumentar

     

    É preciso que sejam feitas inspeções constantes no pomar com o objetivo de identificar os problemas.

     

    A produção de maracujá é uma atividade que pode ser lucrativa tanto para grandes produtores, quanto para pequenos, sendo importante fonte de renda no âmbito da agricultura familiar. No entanto, o aparecimento de determinadas pragas e doenças pode virar uma catástrofe para o produtor.

    O pulgão está na lista negra um dos agricultores. Eles vivem em colônias e transmitem uma doença conhecida como vírus do endurecimento dos frutos. As plantas com sintomas da virose devem ser imediatamente erradicadas. Outra medida importante é evitar o plantio, nas imediações do pomar, de espécies hospedeiras dos pulgões, tais como, pepino, melancia, abóbora, melão, ervilha e tomate.

    Segundo o professor Waldir Vicente dos Santos, no curso Produção de Maracujá elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, “entre as doenças do maracujazeiro, a morte prematura é a que propicia maior problema fitossanitário da cultura. Ela ataca as folhas e ramos da planta, levando-a a morte em plena idade produtiva”.

    Os principais sintomas da doença são uma grande desfolha e a presença de manchas amareladas nas hastes principais, que se juntam e secam, com a formação de grandes áreas descoloridas ou de cor pardo-avermelhada, destruindo o tecido cortical externo, secando as hastes e provocando a morte da planta.

    De acordo com Waldir Vicente, que também é coordenador da Horticultura da Emater, algumas medidas preventivas podem ser tomadas. “Quando o solo é argiloso, permanecendo úmido por muito tempo após as chuvas ou em culturas irrigadas, o plantio deverá ser feito em camalhões de base larga, com o objetivo de assegurar melhor drenagem na região do colo e das raízes superficiais. Deve-se utilizar sempre substrato rico em matéria orgânica para uma boa formação das mudas, como também sacos plásticos de tamanho compatível com o sistema radicular da planta. Outra providência é executar um criterioso preparo do solo, com correção da acidez e farta adubação do pomar”, explica o professor.

    Dessa maneira, é preciso que sejam feitas inspeções constantes no pomar com o objetivo de identificar os problemas. Atualmente, o maracujá é comercializado como fruta fresca para mercados atacadistas e varejistas e, principalmente, para as indústrias de processamento de suco e outros derivados. O suco de maracujá é o terceiro mais produzido no Brasil, atrás do suco de laranja e do de caju.

    Por: Ariádine Morgan


    AVISO LEGAL

    Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que contenha um link remetendo para o site www.cpt.com.br.

    Cursos Relacionados

    Curso Produção de Maracujá

    Curso Produção de Maracujá

    R$ 278,00 à vista ou em até 10x de R$ 27,80
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5445

    Saiba Mais

    Curso Produção de Mudas Frutíferas

    Curso Produção de Mudas Frutíferas

    R$ 278,00 à vista ou em até 10x de R$ 27,80
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5148

    Saiba Mais

    Curso Produção Comercial de Frutas em Pequenas Áreas

    Curso Produção Comercial de Frutas em Pequenas Áreas

    R$ 278,00 à vista ou em até 10x de R$ 27,80
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5137

    Saiba Mais

    Curso Irrigação em Pequenas e Médias Propriedades

    Curso Irrigação em Pequenas e Médias Propriedades

    R$ 278,00 à vista ou em até 10x de R$ 27,80
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5158

    Saiba Mais



    Deixe seu comentário

    Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

    O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.

    Comentários

    Caroline Neves Oliveira
    21-12-2014

    Tenho um pé de maracujá em casa, ele dá o fruto mais não da a polpa por dentro, outras vezes ele dá o fruto e antes mesmo de amadurecer ele cai, muitas das vezes aparece muitos besouros em volta do pé. Gostaria de saber se tem um remédio para essas coisas?

    Resposta do Portal Cursos CPT
    21-01-2015

    Olá, Caroline!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Recomendamos que procure um especialista para mais informações de como proceder no controle desta praga.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    maria suely gomes rocha machado
    13-12-2014

    Olá meus amigos desta pagina, gostaria de saber como combater uma praga que aparece sempre nas folhas de meu maracujá, é um monte de lagartas pretas ou seja como dizem aqui na minha cidade, é uma espécie de mandarová preto são bem pequenos e vão crescendo não comem as folhas´mas se espalham pelo pátio todo e tenho meus netos que brincam tenho medo que eles queimem as crianças desde já agradeço se puderem me ajudar obrigada..........

    Resposta do Portal Cursos CPT
    15-12-2014

    Olá, Maria Suely!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    Segue uma receita caseira que poderá lhe auxiliar:

    Ingredientes:
    10 cm de fumo de rolo
    50 g de sabão de coco ou neutro
    1 litro de água

    Modo de fazer:
    Pique o fumo e o sabão em pedaços, junte a água e misture bem. Deixe curtir por cerca de 24 horas. Coe e pulverize as plantas atacadas.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    DIEGO CONCEIÇÃO DOS SANTOS
    26-04-2014

    Tenho dúvidas na aplicação de agrotóxicos. Jogo a pulverização na folha do meu maracujazeiro, relevante ao horário...

    Resposta do Portal Cursos CPT
    29-04-2014

    Olá, Diego!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    Abaixo segue três momentos que o maracujá deve ser pulverizado.

    Desbaste: Após o desbaste, recomenda-se pulverizar o pé de maracujá com fungicida à base de cobre, com repetições regulares. É indicado alternar com uma solução feita à base de cobre e mancozeb a 0,2% do produto comercial, diluída em um pequeno volume de água por uma hora. Agite o líquido para evitar depósito no fundo do recipiente. As mudas são plantadas em covas de 40 x 40 centímetros, com espaçamento de cinco metros entre as plantas e de três metros entre as ruas. Mas é preciso ter cuidado para não ferir a raiz, nem destruir a crosta de terra que a envolve.

    Pragas e doenças: pulverizar, quando necessário, de manhã bem cedo para não afetar os insetos polinizadores. Controle biológico para lagartas – Bacillus thuringiensis; lagartas, percevejos e besouros – fenthion ou cartap; mosca-das-frutas – iscas atrativas, feitas com 7% de melaço mais fenthion em água. Doenças fúngicas – tratamento preventivo com fungicidas cúpricos. Bacteriose – medidas culturais (sementes e mudas sadias, adubações equilibradas e quebra-ventos); controle químico preventivo à base de fungicidas cúpricos, antibiótico (terramicina) em situações críticas (curativo), no máximo duas vezes por ano. Fusariose – prevenir com medidas culturais que favoreçam boa drenagem e manutenção da integridade do sistema radicular; controle – erradicação.

    Micronutrientes: em solos deficientes, aplicar juntamente com a primeira parcela da adubação de produção, no início da estação chuvosa, 2 kg/ha de B e 4 kg/ha de Zn, ou via foliar, com três pulverizações (outubro, janeiro e abril), utilizando calda com 300g de sulfato de zinco, 100g de ácido bórico e 500g de uréia por 100 litros de água.

    Qualquer dúvida estamos a disposição.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

     

    vitoria lokinha
    13-10-2013

    Meu pé de maracujá não brota porque tem uns besouros pretos e bem feio lá tem lagartas comendo as flores e o maracujá não se vê.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    16-10-2013

    Olá, Vitória!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    Em relação aos besouros existem várias espécies que atacam o maracujazeiro, dentre os quais destacam-se os seguintes:

    - Broca-do-maracujazeiro ou da-haste: provoca prejuízos no pomar quando está na fase larval, pois ela se desenvolve no interior do ramo do maracujazeiro. Quando chega a fase adulta, sai do ramo por meio de um pequeno orifício. A broca-do-maracujazeiro ocorre mais frequentemente em plantios novos, localizados em áreas recém-desmatadas, na periferia da plantação e próxima à vegetação nativa;

    - besouro-das-flores: conhecido também como praga do girassol, se esconde no interior das folhas durante o dia, alimentando-se à noite. Ataca as folhas novas e as flores do maracujá, prejudicando a produção;

    - besouro-do-botão-floral: causa a perfuração e queda do botão floral.

    O controle químico dos besouros pode ser feito por meio de pulverizações com um dos seguintes produtos: Cartap BR 500 a 0,12%, Cartap 500 a 0,12%, Fention 500 a 0,1% ou Malation 500 CE a 0,25%, sempre em relação ao produto comercial.

    Lagartas: as lagartas atacam o pomar em períodos secos do ano, de junho a agosto, principalmente as folhas novas.

    As borboletas colocam seus ovos na face inferior das folhas, de onde saem as lagartas, que passam a comer as folhas, reduzindo a área fotossintética, afetando a produção. Em plantas jovens, os prejuízos podem ser maiores, porque as lagartas podem causar desfolha total, levando-as à morte, no caso de ataque sucessivos. Depois de comerem as folhas, as lagartas se transformam em pupa e, em seguida, em borboleta novamente, que é a fase adulta. São duas as espécies frequentemente encontradas atacando o maracujazeiro: Dione juno juno, que apresenta hábito gregário, formando densas colônias nas folhas, e Agraulis vanillae vanillae, que faz posturas isoladas.

    Para mais informações recomendamos que procure um técnico especializado em sua cidade ou região.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    Luciana
    10-05-2013

    Olá, tenho alguns pés de maracujá, que sempre produziram muito e este ano as lagartas atacaram, como posso combater, que remédio posso usar. Agradeço se puder me ajudar.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    13-05-2013

    Olá, Luciana!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    O controle de lagartas pode ser feito por meio de pulverização com os seguintes inseticidas: Carbaril, Cartap, Fention ou Triclorfon.

    Em relação as dosagens recomendamos que procure um técnico da área para lhe auxiliar.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    Alexandre Aquiles Melisinas
    01-04-2013

    Trabalho na Secretaria de Agricultura do Município de Altônia sou Técnico estamos começando um trabalho de assistência com alguns produtores de maracujá e gostaria se possível por e-mail algumas informações sobre as principais pragas e doenças desta fruta.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    02-04-2013

    Olá, Alexandre!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    As principais que atacam a cultura do maracujazeiro são as seguintes:

    * Pulgões: são pequenos insetos, de aparência delicada, que trazem sérios danos ao maracujazeiro. Vivem em colônias e transmitem, ao sugar as partes tenras das plantas, uma doença conhecida como vírus do endurecimento dos frutos do maracujazeiro (Passion fruit woodness virus), doença que pode arrasar com o pomar;

    * Percevejos: sugam a seiva de todas as partes da planta, ocasionando a queda de botões florais e de frutos novos e o murchamento de frutos mais desenvolvidos. Os percevejos depositam seus ovos na face inferior das folhas, em número de seis a nove, e as larvas e ninfas preferem os brotos;

    * Lagartas: as borboletas colocam seus ovos na face inferior das folhas, de onde saem as lagartas, que passam a comer as folhas, reduzindo a área fotossintética, afetando a produção. Em plantas jovens, os prejuízos podem ser maiores, porque as lagartas podem causar desfolha total, levando-as à morte, no caso de ataques sucessivos;

    * Mosca-das-frutas: as larvas penetram no fruto, provocando o seu murchamento, antes de atingir a maturação, e muitas vezes destroem a polpa do fruto, inutilizando-o para o consumo;

    * Besouros: provoca prejuízo no pomar quando está na fase larval, pois ela se desenvolve no interior do ramo do maracujazeiro;

    * Tripes: o tripes atacam os botões florais e frutos novos, causando o aparecimento de lesões superficiais na casca, depreciando a qualidade do produto;

    * Cupins: existem espécies de cupins que atacam plantas, podendo ocasionar danos que levam à morte. As espécies mais comuns, no entanto, atacam apenas o material vegetal em decomposiçao;

    * Abelhas domésticas e Irapuás: a presença de insetos pequenos, como a abalha doméstica e a irapuá, conhecida também como abelha-cachorro, é prejudicial à polinização, pois estes insetos retiram néctar e grãos de pólen da flor do maracujazeiro, obrigando a mamangava a procurar outros plantios;

    * Ácaros: atacam as folhas e os ramos novos, provocando deformações, manchas, secamento e morte.

    Para mais informações sobre pragas e doenças do maracujazeiro e como combater o CPT - Centro de Produções Técnicas, possui o curso Produção de Maracujá, que poderá lhe auxiliar.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    Sirlei de Oliveira Martins Fogaça
    09-03-2013

    Gostei da notícia, vai me ajudar em minha plantação.
    Gostaria se pudesse saber mais como eliminar a verrugose do maracujá, por que estou tendo prejuízo na comercialização.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    11-03-2013

    Olá, Sirlei!

    Agradecemos sua visita e seu comentário em nosso site.

    Para controlar a verrugose em sua plantação de maracujá, seguem algumas orientações:

    * Óxido Cupros: 240 gramas em 100 litros de água ou

    * Oxicloreto de cobre: 300 gramas em 100 litros de água.

    Procedimentos:

    * Iniciar as pulverizações após o aparecimento dos primeiros sintomas da doença. Fazer aplicações semanais durante três semnas seguidas. Após isto, manter o pomar em observação e somente repetir o tratamento quando houver reincidênica dos sintomas.

    Para mais informações, conheça o curso Produção de Maracujá, produzido pelo CPT.

    Qualquer dúvida, entreem contato conosco.

    Atenciosamente,

    Natália Parzanini Brum

    SABRINA
    19-06-2012

    Muito legal


    Resposta do Portal Cursos CPT
    19-06-2012

    Olá, Sabrina!

    Que bom que gostou!
    Não deixe de acessar o site para conferir as novidades em sua área de interesse.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    antonio rosa neto
    03-05-2012

    Gostaria de obter o curso completo.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    03-05-2012

    Olá, Antônio!

    O Curso CPT de Produção de Maracujá, aborda assuntos como: biologia da planta; clima; formação de mudas; preparo do solo; adubamento; tratos culturais; controle de pragas e doenças e mais.

    Para lhe fornecer mais informações referentes ao curso e como comprar nossas consultoras entrarão em contato com você.

    Atenciosamente,

    Ana carolina dos Santos


    Mais Notícias sobre diversas áreas do conhecimento




    O CPT liga para você!





    Exemplo: 31 38997000