/ / Saiba como combater as pragas e doenças da produção de maracujá
    Notícias sobre diversas áreas do conhecimento

    Saiba como combater as pragas e doenças da produção de maracujá

    O pulgão está na lista negra dos agricultores. A morte prematura é a que propicia maior problema fitossanitário da cultura

    Gostou? Envie a um amigo
    Tamanho da letra Diminuir Aumentar

     

    É preciso que sejam feitas inspeções constantes no pomar com o objetivo de identificar os problemas.

     

    A produção de maracujá é uma atividade que pode ser lucrativa tanto para grandes produtores, quanto para pequenos, sendo importante fonte de renda no âmbito da agricultura familiar. No entanto, o aparecimento de determinadas pragas e doenças pode virar uma catástrofe para o produtor.

    O pulgão está na lista negra um dos agricultores. Eles vivem em colônias e transmitem uma doença conhecida como vírus do endurecimento dos frutos. As plantas com sintomas da virose devem ser imediatamente erradicadas. Outra medida importante é evitar o plantio, nas imediações do pomar, de espécies hospedeiras dos pulgões, tais como, pepino, melancia, abóbora, melão, ervilha e tomate.

    Segundo o professor Waldir Vicente dos Santos, no curso Produção de Maracujá elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, “entre as doenças do maracujazeiro, a morte prematura é a que propicia maior problema fitossanitário da cultura. Ela ataca as folhas e ramos da planta, levando-a a morte em plena idade produtiva”.

    Os principais sintomas da doença são uma grande desfolha e a presença de manchas amareladas nas hastes principais, que se juntam e secam, com a formação de grandes áreas descoloridas ou de cor pardo-avermelhada, destruindo o tecido cortical externo, secando as hastes e provocando a morte da planta.

    De acordo com Waldir Vicente, que também é coordenador da Horticultura da Emater, algumas medidas preventivas podem ser tomadas. “Quando o solo é argiloso, permanecendo úmido por muito tempo após as chuvas ou em culturas irrigadas, o plantio deverá ser feito em camalhões de base larga, com o objetivo de assegurar melhor drenagem na região do colo e das raízes superficiais. Deve-se utilizar sempre substrato rico em matéria orgânica para uma boa formação das mudas, como também sacos plásticos de tamanho compatível com o sistema radicular da planta. Outra providência é executar um criterioso preparo do solo, com correção da acidez e farta adubação do pomar”, explica o professor.

    Dessa maneira, é preciso que sejam feitas inspeções constantes no pomar com o objetivo de identificar os problemas. Atualmente, o maracujá é comercializado como fruta fresca para mercados atacadistas e varejistas e, principalmente, para as indústrias de processamento de suco e outros derivados. O suco de maracujá é o terceiro mais produzido no Brasil, atrás do suco de laranja e do de caju.

    Por: Ariádine Morgan


    AVISO LEGAL

    Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que o CPT – Centro de Produções Técnicas seja citado como fonte, remetendo para o site da instituição: www.cpt.com.br.

    Cursos Relacionados

    Curso Produção de Maracujá

    Curso Produção de Maracujá

    R$ 258,00 à vista ou em até 10x de R$ 25,80
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5445

    Saiba Mais

    Curso Produção de Mudas Frutíferas

    Curso Produção de Mudas Frutíferas

    R$ 258,00 à vista ou em até 10x de R$ 25,80
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5148

    Saiba Mais

    Curso Produção Comercial de Frutas em Pequenas Áreas

    Curso Produção Comercial de Frutas em Pequenas Áreas

    R$ 258,00 à vista ou em até 10x de R$ 25,80
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5137

    Saiba Mais

    Curso Irrigação em Pequenas e Médias Propriedades

    Curso Irrigação em Pequenas e Médias Propriedades

    R$ 258,00 à vista ou em até 10x de R$ 25,80
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5158

    Saiba Mais



    Deixe seu comentário

    Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

    O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.

    Comentários

    vitoria lokinha
    13-10-2013

    Meu pé de maracujá não brota porque tem uns besouros pretos e bem feio lá tem lagartas comendo as flores e o maracujá não se vê.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    16-10-2013

    Olá, Vitória!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    Em relação aos besouros existem várias espécies que atacam o maracujazeiro, dentre os quais destacam-se os seguintes:

    - Broca-do-maracujazeiro ou da-haste: provoca prejuízos no pomar quando está na fase larval, pois ela se desenvolve no interior do ramo do maracujazeiro. Quando chega a fase adulta, sai do ramo por meio de um pequeno orifício. A broca-do-maracujazeiro ocorre mais frequentemente em plantios novos, localizados em áreas recém-desmatadas, na periferia da plantação e próxima à vegetação nativa;

    - besouro-das-flores: conhecido também como praga do girassol, se esconde no interior das folhas durante o dia, alimentando-se à noite. Ataca as folhas novas e as flores do maracujá, prejudicando a produção;

    - besouro-do-botão-floral: causa a perfuração e queda do botão floral.

    O controle químico dos besouros pode ser feito por meio de pulverizações com um dos seguintes produtos: Cartap BR 500 a 0,12%, Cartap 500 a 0,12%, Fention 500 a 0,1% ou Malation 500 CE a 0,25%, sempre em relação ao produto comercial.

    Lagartas: as lagartas atacam o pomar em períodos secos do ano, de junho a agosto, principalmente as folhas novas.

    As borboletas colocam seus ovos na face inferior das folhas, de onde saem as lagartas, que passam a comer as folhas, reduzindo a área fotossintética, afetando a produção. Em plantas jovens, os prejuízos podem ser maiores, porque as lagartas podem causar desfolha total, levando-as à morte, no caso de ataque sucessivos. Depois de comerem as folhas, as lagartas se transformam em pupa e, em seguida, em borboleta novamente, que é a fase adulta. São duas as espécies frequentemente encontradas atacando o maracujazeiro: Dione juno juno, que apresenta hábito gregário, formando densas colônias nas folhas, e Agraulis vanillae vanillae, que faz posturas isoladas.

    Para mais informações recomendamos que procure um técnico especializado em sua cidade ou região.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    Luciana
    10-05-2013

    Olá, tenho alguns pés de maracujá, que sempre produziram muito e este ano as lagartas atacaram, como posso combater, que remédio posso usar. Agradeço se puder me ajudar.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    13-05-2013

    Olá, Luciana!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    O controle de lagartas pode ser feito por meio de pulverização com os seguintes inseticidas: Carbaril, Cartap, Fention ou Triclorfon.

    Em relação as dosagens recomendamos que procure um técnico da área para lhe auxiliar.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    Alexandre Aquiles Melisinas
    01-04-2013

    Trabalho na Secretaria de Agricultura do Município de Altônia sou Técnico estamos começando um trabalho de assistência com alguns produtores de maracujá e gostaria se possível por e-mail algumas informações sobre as principais pragas e doenças desta fruta.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    02-04-2013

    Olá, Alexandre!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    As principais que atacam a cultura do maracujazeiro são as seguintes:

    * Pulgões: são pequenos insetos, de aparência delicada, que trazem sérios danos ao maracujazeiro. Vivem em colônias e transmitem, ao sugar as partes tenras das plantas, uma doença conhecida como vírus do endurecimento dos frutos do maracujazeiro (Passion fruit woodness virus), doença que pode arrasar com o pomar;

    * Percevejos: sugam a seiva de todas as partes da planta, ocasionando a queda de botões florais e de frutos novos e o murchamento de frutos mais desenvolvidos. Os percevejos depositam seus ovos na face inferior das folhas, em número de seis a nove, e as larvas e ninfas preferem os brotos;

    * Lagartas: as borboletas colocam seus ovos na face inferior das folhas, de onde saem as lagartas, que passam a comer as folhas, reduzindo a área fotossintética, afetando a produção. Em plantas jovens, os prejuízos podem ser maiores, porque as lagartas podem causar desfolha total, levando-as à morte, no caso de ataques sucessivos;

    * Mosca-das-frutas: as larvas penetram no fruto, provocando o seu murchamento, antes de atingir a maturação, e muitas vezes destroem a polpa do fruto, inutilizando-o para o consumo;

    * Besouros: provoca prejuízo no pomar quando está na fase larval, pois ela se desenvolve no interior do ramo do maracujazeiro;

    * Tripes: o tripes atacam os botões florais e frutos novos, causando o aparecimento de lesões superficiais na casca, depreciando a qualidade do produto;

    * Cupins: existem espécies de cupins que atacam plantas, podendo ocasionar danos que levam à morte. As espécies mais comuns, no entanto, atacam apenas o material vegetal em decomposiçao;

    * Abelhas domésticas e Irapuás: a presença de insetos pequenos, como a abalha doméstica e a irapuá, conhecida também como abelha-cachorro, é prejudicial à polinização, pois estes insetos retiram néctar e grãos de pólen da flor do maracujazeiro, obrigando a mamangava a procurar outros plantios;

    * Ácaros: atacam as folhas e os ramos novos, provocando deformações, manchas, secamento e morte.

    Para mais informações sobre pragas e doenças do maracujazeiro e como combater o CPT - Centro de Produções Técnicas, possui o curso Produção de Maracujá, que poderá lhe auxiliar.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    Sirlei de Oliveira Martins Fogaça
    09-03-2013

    Gostei da notícia, vai me ajudar em minha plantação.
    Gostaria se pudesse saber mais como eliminar a verrugose do maracujá, por que estou tendo prejuízo na comercialização.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    11-03-2013

    Olá, Sirlei!

    Agradecemos sua visita e seu comentário em nosso site.

    Para controlar a verrugose em sua plantação de maracujá, seguem algumas orientações:

    * Óxido Cupros: 240 gramas em 100 litros de água ou

    * Oxicloreto de cobre: 300 gramas em 100 litros de água.

    Procedimentos:

    * Iniciar as pulverizações após o aparecimento dos primeiros sintomas da doença. Fazer aplicações semanais durante três semnas seguidas. Após isto, manter o pomar em observação e somente repetir o tratamento quando houver reincidênica dos sintomas.

    Para mais informações, conheça o curso Produção de Maracujá, produzido pelo CPT.

    Qualquer dúvida, entreem contato conosco.

    Atenciosamente,

    Natália Parzanini Brum

    SABRINA
    19-06-2012

    Muito legal


    Resposta do Portal Cursos CPT
    19-06-2012

    Olá, Sabrina!

    Que bom que gostou!
    Não deixe de acessar o site para conferir as novidades em sua área de interesse.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    antonio rosa neto
    03-05-2012

    Gostaria de obter o curso completo.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    03-05-2012

    Olá, Antônio!

    O Curso CPT de Produção de Maracujá, aborda assuntos como: biologia da planta; clima; formação de mudas; preparo do solo; adubamento; tratos culturais; controle de pragas e doenças e mais.

    Para lhe fornecer mais informações referentes ao curso e como comprar nossas consultoras entrarão em contato com você.

    Atenciosamente,

    Ana carolina dos Santos


    Mais Notícias sobre diversas áreas do conhecimento




    O CPT liga para você!





    Exemplo: 31 38997000