Atendimento Online

    Novembro Azul, drible o preconceito e abrace esta causa!
    / / Ração para peixes com ingredientes regionais
    Notícias sobre diversas áreas do conhecimento

    Ração para peixes com ingredientes regionais

    Embrapa está desenvolvendo fontes de alimentação alternativa para a piscicultura

    Gostou? Envie a um amigo
    Tamanho da letra Diminuir Aumentar

    Diversas cidades do Brasil estão inseridas no programa, que utiliza ingredientes regionais.

    Diversas cidades do Brasil estão inseridas no programa, que utiliza ingredientes regionais.

    Na piscicultura em regime intensivo, os aspectos relacionados à alimentação dos peixes correspondem a 70% dos custos da criação. Assim, a nutrição desempenha o papel mais importante, exigindo sérios esforços da pesquisa para a geração de tecnologias adequadas.

    A Embrapa Pantanal tem desenvolvido estudos envolvendo ingredientes tipicamente brasileiros na produção de ração para peixes. Diversas cidades do Brasil estão inseridas no programa, que utiliza ingredientes regionais. Os resultados têm surpreendido os pesquisadores.

    Os ingredientes alternativos incluem dendê, farinha de manga, farelo de licuri, girassol, farelo de coco, tucumã, resíduos de maracujá e de frutos amazônicos. O uso da mandioca foi sugerido pelos próprios criadores.

    Todos esses apresentam teores de proteína em sua composição, fator de muita importância, pois segundo o professor Newton Castagnolli, no curso Nutrição e Alimentação de Peixes, desenvolvido pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, “as exigências proteicas dos peixes são maiores quando comparadas às demais espécies. Torna-se necessário, então, uma ração rica em proteína”.

    Segundo a pesquisadora Roselany Corrêa, o objetivo da pesquisa é diminuir os custos para o criador. Ainda é necessário refinar os resultados e selecionar as melhores opções nutricionais em termos de custo-benefício.

    Por: Clara Peron.


    AVISO LEGAL

    Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que contenha um link remetendo para o site www.cpt.com.br.

    Cursos Relacionados

    Curso Criação de Peixes

    Curso Criação de Peixes

    R$ 285,00 à vista ou em até 10x de R$ 28,50
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5488

    Saiba Mais

    Curso Criação de Tilápias

    Curso Criação de Tilápias

    R$ 285,00 à vista ou em até 10x de R$ 28,50
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5066

    Saiba Mais

    Curso Nutrição e Alimentação de Peixes

    Curso Nutrição e Alimentação de Peixes

    R$ 285,00 à vista ou em até 10x de R$ 28,50
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5295

    Saiba Mais

    Curso Produção de Alevinos

    Curso Produção de Alevinos

    R$ 285,00 à vista ou em até 10x de R$ 28,50
    sem juros no cartão + frete.

    Cód. 5037

    Saiba Mais



    Deixe seu comentário

    Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

    O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.

    Comentários

    José Bonifácio Silva
    17-02-2014

    As proteínas animais não serão bem vindas por exemplo tripas, buchos, farinha de osso bovinos .. te agradeço se me responder minha região tem um incentivo grande para o desenvolvimento da piscicultura e aqui não tem fabrica de ração, no entanto existe um desperdício destes resíduos bovinos

    Resposta do Portal Cursos CPT
    19-02-2014

    Olá, José Bonifácio!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    A qualidade de um ingrediente depende de sua composição em aminoácidos, da presença de fatores antinutricionais, de seu potencial energético, além de seus níveis de vitaminas e minerais. Como consequência, seu valor ou seu potencial de utilização como ingrediente em uma ração está na dependência das respostas que sua presença reflete no crescimento dos peixes e também no preço final da ração. Os peixes utilizam de forma distinta os diferentes ingredientes alimentares, resultando, consequentemente, em diferentes respostas de desempenho produtivo.

    A farinha de carne, resultante da cocção sob pressão de resíduos de tecidos de animais, é encontrada no mercado comof arinha de carne-50, com níveis de fósforo menores que 4,0% e a farinha de carne e ossos-36, com níveis de fósforo maiores que 4,0%. Sua contribuição, quando da formulação de uma ração, destaca-se por apresentar níveis altos de Ca e P (totalmente biodegradáveis) e equilíbrio em aminoácidos essenciais (AAE), principalmente nos sulfurados (metionina e cistina).

    A farinha de abatedouro avícola, produzida mediante autoclavagem, secagem e moagem de sangue, vísceras, pés, cabeças, penas, e outros, apresenta-se abundante nas regiões sudeste e sul do país. Equivalente às farinhas de peixe e carne, com teor protéico de 60%, é deficiente em mationina, lisina e triptofano. revela menor coeficiente de digestibilidade, substituindo a farinha de peixe em até 75%, principalmente por apresentar boa qualidade, disponibilidade e preço.

    Para mais informações, recomendamos que procure um especialista na área.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    Alan
    23-10-2013

    Olá, bom dia, gostaria de saber qual a melhor ração artesanal para tilápia,(do nilo), tambaqui e crumata de agua doce? Estou começando agora e gostaria de ter orientações de alimentos para substituir a ração comercial, pois elas esta muito cara.
    Obrigado

    Alan Lopes

    Resposta do Portal Cursos CPT
    29-10-2013

    Olá, Alan!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    O manejo alimentar destes peixes varia de acordo com o cultivo. Em cultivos intensivos, usa-se ração completa, pois, nesse caso, os peixes não têm acesso ao alimento natural e essa ração já supre todas as suas necessidades alimentares; e no cultivo semi-intensivo, usa-se a ração suplementar que deverá suprir as deficiências da alimentação natural.

    A alimentação pode representar um custo muito alto para o piscicultor, variando entre 60% e 80% do custo de produção, mas deve-se tomar cuidado ao se optar pelo uso apenas de alimentos disponíveis na propriedade, preparados pelo piscicultor, a partir de farelos, pois esse tipo de alimentação normalmente tem baixa qualidade nutricional e baixa palatabilidade, e, mesmo oferecendo maior quantidade desse alimento, não se pode garantir uma produtividade satisfatória.

    Por isso, para uma alimentação artesanal ideal para o seu peixe, recomendamos que procure um técnico especializado no assunto para mais informações.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    Fidercino de Souza
    29-09-2013

    Tenho um sitio muito bom de água, e tenho uma grande vontade de trabalhar com peixe. Acabei de me aposentar,e preciso de ajuda já fiz um curso de piscicultura na Epagre em Campos Novos - SC só q faz tempo. Preciso construir os tanque ou açudes.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    01-10-2013

    Olá, Fidercino!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    O CPT possui o curso Criação de Tilápias em Tanque-rede que poderá lhe auxiliar.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    erlan de jesus batista da silva
    06-04-2013

    Gostaria de saber se o sangue do boi serve para mistura da fabricação da ração.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    08-04-2013

    Olá, Erlan!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    A farinha de sangue é um componente alternativo que pode diminuir os custos da ração para peixes, indicada principalmente na fase de alevinagem e crescimento dos peixes. Podendo ser usado qualquer tipo de sangue de animal de abatedouro, pode ser bovino, suíno ou ave. Porém, existem alguns cuidados necessários com relação à higiene e ao transporte desse material. Ele pode ser transportado em saco plástico ou mesmo num latão de leite limpo, sem nenhum problema de contaminação. Para se fazer a farinha é necessário que o sangue já esteja coagulado, ou seja, o soro separado das hemácias, pois geralmente se joga o soro fora, também é importante lembrar que se deve utilizar o sangue de um animal saudável, pois o sangue de um animal doente pode não transmitir a doença para o peixe, mas pode causar desconforto a quem estiver manipulando esse material.

    (Fonte: Formulação de Ração)

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos

    Francisco Sergio Pascale
    06-03-2013

    Gostaria de saber se o bagaço de cana ou alguma parte da cana pode ser adicionado como ingrediente na fabricação de ração para peixe (tilápia)
    Estou em um projeto para fabricar ração de peixe na própria propriedade, todo tipo de informação me será útil, inclusive o aproveitamento de carcaças que já foram filetadas.
    Desde já, agradeço qualquer iniciativa.

    Resposta do Portal Cursos CPT
    07-03-2013

    Olá, Francisco!

    Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

    O bagaço de cana pode ser utilizado para formular a ração junto com outros ingredientes como: farelo de milho, soja e trigo; calçario, fosfato, bicálcio, óleo de linhaça ou de girassol, naci (sal) e premix.

    Para mais informações o CPT - Centro de Produções Técnicas possui o Curso Nutrição e Alimentação de Peixes, que poderá lhe auxiliar.

    Atenciosamente,

    Ana Carolina dos Santos


    Mais Notícias sobre diversas áreas do conhecimento




    O CPT liga para você!





    Exemplo: 31 38997000