Por que inserir cálcio e fósforo na ração animal?

O Cálcio (Ca) e o Fósforo (P) representam 70% do total de minerais encontrados no corpo do animal; 90% destes estão presentes nos ossos e dentes

Por que inserir cálcio e fósforos na ração animal?    Artigos Cursos CPT

O Cálcio (Ca) e o Fósforo (P) representam 70% do total de minerais encontrados no corpo do animal; 90% destes estão presentes nos ossos e dentes. Em sua maioria, o cálcio faz parte da formação dos ossos e composição do leite. Em menores quantidades, ele faz parte dos pequenos detalhes fisiológicos, como a coagulação do sangue, ativação de enzimas, dentre outras funções. O fósforo, além de compor o esqueleto, participa na manutenção dos microrganismos do rumem, ajuda na absorção dos carboidratos, no transporte de ácidos graxos, além de desempenhar papel importante na absorção e no metabolismo da energia.

Segundo Jorge Prado Borges Neto, professor do Curso a Distância CPT Fabricação de Ração na Fazenda, em Livro+DVD e Curso Online, “É de fundamental importância que esses elementos mantenham uma relação de aproximadamente duas partes de cálcio para uma de fósforo. Os bovinos toleram relações mais altas desde que não ocorra deficiência destes minerais e de vitamina D (importante para absorção e depósito de cálcio nos ossos) na dieta”.

A deficiência de cálcio é rara em gado de corte, pois as forrageiras apresentam níveis relativamente altos desse mineral. Em gado leiteiro de alta produção, a deficiência é mais frequente. O sintoma mais evidente da deficiência de cálcio e fósforo é o raquitismo em animais jovens e a osteomalácia em animais adultos. O raquitismo é uma má formação dos ossos, que faz com que os animais apresentem inchação das juntas, engrossamento das extremidades dos ossos, arqueamento do dorso e enrijecimento das pernas. Em casos de deficiência mais acentuada apresentam joelhos curvados e pernas arqueadas.

Na osteomalácia, cálcio e fósforo são retirados dos ossos sem que ocorra reposição, tornando-os fracos e quebradiços. A exigência maior destes minerais aparece no final da gestação e
durante a lactação. Os principais sintomas de deficiência de fósforo são:
• Anorexia (redução do apetite);
• Depravação do apetite: o animal come ossos, madeira, terra e outros materiais;
• Baixos índices de fertilidade, resultando em maior intervalo entre partos e menor número de crias por ano;
• Redução dos índices produtivos, como produção de leite, ganho de peso e conversão alimentar.

A deficiência de fósforo constitui um dos mais sérios problemas da nutrição dos ruminantes, uma vez que as pastagens são muito deficientes deste mineral. Os altos níveis de ferro e alumínio nas pastagens podem acentuar a deficiência do fósforo por formarem complexos insolúveis no organismo.

Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs e Cursos Online, da área Pastagens e Alimentação Animal.
Por Silvana Teixeira.

Cursos Relacionados

Curso Pastejo Rotacionado Curso Pastejo Rotacionado

Com Prof.ª Bianca Almeida

R$ 338,00 à vista ou em até 10x de R$ 33,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais
Curso Seleção de Forrageiras Curso Seleção de Forrageiras

Com Prof. Dr. Prof. Antonio Vander

R$ 338,00 à vista ou em até 10x de R$ 33,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais
Curso Fabricação de Ração na Fazenda Curso Fabricação de Ração na Fazenda

Com Prof. Jorge Borges

R$ 398,00 à vista ou em até 10x de R$ 39,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Mais Dicas Cursos CPT

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade