Dicas de cuidados que você deve ter com seu cãozinho

Conheça algumas dicas para você conviver melhor com o seu animal de estimação

Os cães cada vez mais estão ganhando mordomias que antes não existemSe o cachorro for ficar dentro de casa providencie caminhas e almofadas confortáveisSe o cachorro for ficar em ambiente externo escolha por casinhas que protejam do sol e do frioOs cães adoram ser escovados, torne este momento um hábitoO ideal é que os cachorros tomem banho de 15 em 15 diasAs orelhas do cão devem ser muito bem cuidadas para evitar infecções como a otiteO ossinho de corda é uma das soluções disponíveis para limpeza dos dentesDê sempre alimentos apropriados para seu cachorro e água em abundância sempre limpa e frescaLeve seu cão ao veterinário periodicamente

 

Há muito que a vida de cachorro deixou de ser sinônimo de dureza. Os cães são cada vez mais estimados, ganhando mordomias impensáveis nos últimos anos.

Já faz algum tempo que as pessoas têm se conscientizado de que não se deve dar somente água e resto de comida a seus bichos de estimação e, que antes de levar o amiguinho para casa, deve-se ter certeza de que ele não será motivo de brigas e que o mesmo não vive apenas com alimento, mas que precisa de dedicação e carinho. Assim como nós, eles sentem dor e possuem sentimentos.

Confira alguns cuidados que você deve ter com seu cachorrinho:

1 - Onde ele vai ficar? Se ele vai ficar dentro de casa, providencie cama e almofadas para que ele fique confortável e deixe um espaço reservado como uma área para que faça suas necessidades.

Se não ficar dentro da casa, verifique se o local é seguro e se não há pontos de fuga. Ele deve ter uma casinha proporcionando conforto, tanto no verão, com sombra, quanto no inverno, com paninhos e cobertores para aquecê-lo.

Lembre-se: o local deve estar sempre limpo, livre de pulgas e restos de fezes.

2 - Alimentação e água: dê sempre alimentos apropriados, de acordo com a espécie e a idade do cachorrinho. Os cães adultos devem ser alimentados duas vezes por dia, e os filhotes de quatro a seis vezes por dia. A água deve estar sempre limpa e fresca e à disposição.

Procure recolher os restos do comedouro, evitando proliferação de insetos, formigas e ratos.

3 - Cuidados com os pelos: Dependendo da raça, se é de pelo longo ou curto, as exigências em relação ao tratamento do pelo são diferentes.

A generalidade das raças de pelo longo exige um tratamento diário. Ao escovar e pentear o seu cão você estará não só tratando do seu pelo mas também massageando a pele do animal. Por norma, os cães gostam de ser escovados, apreciando esse momento de carinho e interação com o dono.

A escovação regular mantém a pele saudável, estimulando o fluxo sanguíneo e distribuindo os óleos naturais. Se o cão tem pelagem curta, uma escovação semanal dá conta do recado. Entretando uma raça de pelagem grossa, longa ou desgrenhada, como uma Afghan ou Old English Sheepdog, pode exigir cuidados diários.

Use uma escova de cerdas naturais em cães de pelo curto. Esse tipo de escova também pode ser usada em raças como Husky e Collie, que têm "pelagem dupla". Uma escova de pinos de aço é melhor para cães de pelagem longa, como Maltês, Shin Tzu e Yorkshire.

Cães como Poodles, Bichons Frises, Kerry Blue Terriers têm a pelagem cacheada ou ondulada, precisando do uso de uma escova de borracha com cerdas curvadas.

4 - Higiene: Para cachorros, o ideal é tomar banho de 15 em 15 dias, principalmente se ficarem dentro de casa. O banho dado com xampus especiais é um bom aliado para manter as pulgas distantes. No inverno, é mais difícil de secar completamente sua pelagem, por isso, o ideal, é levá-los em pet shops, onde são limpos e secos por pessoas experientes nessa função.

A rotina de higiene também é importante para você observar o seu animalzinho. Assim, se notar algo estranho, pode levá-lo o quanto antes para avaliação veterinária.

5 - Olhos, ouvidos e dentes: Em animais com pelo comprido os fluidos lacrimais tendem a acumular nos cantos dos olhos. Quando isto acontecer remova esse acúmulo de fluidos utilizando um pano umedecido.

Em relação aos ouvidos tenha cuidado com as infecções, se o seu cãozinho estiver coçando muito a orelha, procure um médico veterinário e verifique se a causa para esta coceira pode ser uma possível otite.

Em relação aos dentes do animal, existem no mercado diversas soluções para evitar a formação de tártaro. Escove os dentes do seu cão utilizando escovas e pasta adequadas ou utilize uma destas soluções disponíveis no mercado, como por exemplo biscoitos feitos especificamente para limpeza dos dentes.

Além do banho, lembre-se de limpar as orelhas deles e aparar suas unhas.

6 - Idas ao veterinário: Ao desmamar, ele deve visitar o médico veterinário para desverminar e receber as vacinas. Os filhotes devem ser vacinados com 2, 3 e 4 meses de idade, e os adultos anualmente, com vacina contra a raiva e doenças próprias da espécie. Providencie a vermifugação do seu animal seguindo as orientações veterinárias a esse respeito.


7 - Como lidar com as pulgas: Para um combate eficiente, precisamos levar em conta o tipo de ciclo de vida da pulga. Como ela tem um estágio de amadurecimento no ambiente, é necessário tratarmos o ambiente e também o animal. As formas jovens da pulga são muito pequenas, portanto, mesmo que não a vejamos dentro da nossa casa, é preciso tratar a casa também, justamente nos locais onde o animal passa mais tempo.

Medicamentos para combate das pulgas:

- Advantage: produto da Bayer, atua no sistema nervoso da pulga. É um líquido que se aplica na pele do cão. Mata pelo contato, já que não é absorvido pelo organismo do animal. É repelente e inseticida. É solúvel em água, portanto sai no banho;

- Frontline: semelhante ao Advantage, mas não é solúvel em água. Pode ser usado em filhotes, com mais de 8 semanas, cães e gatos. Também só mata a forma adulta da pulga;

- Program: é um anticoncepcional para pulgas, a base de lufenuron, que ataca as pulgas no seu estágio jovem, impedindo o seu desenvolvimento e amadurecimento. O Lufenuron é um inibidor da quitina, substância formadora do corpo e dos ovos dos insetos. Não faz mal aos animais, porque não é absorvido pelo seu organismo e porque mamíferos não utilizam quitina. Como não é inseticida, não expõe os animais nem a família a um produto perigoso.

8 - O que fazer para evitar os carrapatos: Infelizmente, não existe nenhum esquema de tratamento preventivo. Se o cão frequenta áreas infestadas por carraptos, ele certamente irá pegá-los. Regiões com vegetação, em sítios ou fazendas, são os lugares mais comuns. Porém, existem muitos casos de pessoas que têm problemas com carrapatos dentro de seus canis ou quintais. Às vezes, em um passeio a uma praça ou a um parque, o cão pode ser infestado.

9 - Como combater os carrapatos no animal:

- banhos carrapaticidas: quando a infestação é grande, repetir os banhos a cada 15 dias;

- animais de pelos longos devem ser tosados no verão, época em que o calor e umidade fazem com que a incidência de carrapatos aumente muito;

- produtos carrapaticidas de longa duração, em gotas para aplicação tópica (local) ou spray, podem ser aplicados, a critério do veterinário.

10 - Como combater os carrapatos no ambiente:

- uso de carrapaticidas: aplicar nos canis, casinha dos cães, em plantas e canteiros, atentando para frestas nas paredes ou pisos e ralos. Repetir a cada 15 dias;

- em canis de alvenaria, o uso de "vassoura de fogo" é muito eficaz;

- se possível, feche todas as frestas existentes nos canis, nas paredes dos quintais e no piso;

- mude de produto a cada 2 ou 3 aplicações, para que o carrapato não desenvolva resistência e o tratamento passe a ser eficaz.

11 - Passeios: passeie sempre com seu cachorro. Os passeios devem ser feitos em horários em que o sol não esteja tão forte. Uma orientação para evitar o sol é levar o pet para passear antes das 10h e após as 18h. Durante os passeios, dê água a cada 15 ou 20 minutos.

Em raças com peles mais sensíveis, como o Pit Bull, deve-se passar um protetor solar, antes dos passeios, mesmo nos horários com menos sol. Estes devem ser consideravelmente neutros, sem cheiro e sem cor, e devem ser passados nas orelhas, principalmente nas bordas e no focinho.

Da mesma forma, deve-se evitar passeios por longos períodos, em local com asfalto ou calçada, em dia muito quente, pois é muito comum ocorrerem casos de cachorros que chegam com queimaduras na planta das patas, o chamado "coxim".

12 - Castração:  o animal castrado vive melhor e fica mais dócil. Todo proprietário pode levar seu animal para castração, seja ele macho ou fêmea, de raça ou não. Assim, você contribui para diminuir a superpopulação de cães na cidade.

13 - Vacinas e remédios: Existem muitas doenças que podem vitimar os animais. Por isso, como medida preventiva, existem as vacinas. Consulte um veterinário, para saber quais vacinas seu bichinho precisa tomar, e lembre-se de manter a carteirinha dele em dia.

Ele precisará de remédios contra os vermes e contra as pulgas. É fundamental seguir as prescrições e a frequência indicada pelo médico.

Não se esqueça de que estas são medidas preventivas, que valem a vida do seu bicho de estimação.

14 - Como viajar com seu bichinho: Transportar animais sem o cinto de segurança no carro é proibido, conforme o Artigo 252, II, do Código de Trânsito. O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) estabelece que os pets devem ser transportados de forma a não desviar a atenção do condutor do veículo, já que podem causar acidentes.

Além disso, alguns pets podem saltar, para fora do automóvel em movimento, quando as janelas estão abertas. Portanto, o transporte adequado faz parte tanto para sua segurança, quanto para a do seu animal.

Nas viagens ou passeios de automóvel, o pet deve viajar com cintos de segurança, específicos para animais, ou dentro de uma caixa de transporte. Neste caso, o bichinho já deverá estar habituado com esta situação. Se o animal for filhote, a dica é acostumá-lo desde cedo com as caixas de transporte.

Vale lembrar que a caixa de transporte deve ser ventilada e estar de acordo com o porte do animal – ela deve permitir que o seu bicho de estimação consiga deitar, ficar em pé e dar uma volta em torno de si. Elas podem ser compradas em pet shops, sob a orientação de um veterinário.

E o mais importante! Maltrato ou abandono de um animal, por qualquer motivo, além de cruel, é um crime que prevê penas de prisão e multa.

Com isso, antes de adotar ou adquirir um cãozinho, lembre-se de que este vive, em média, 15 anos, e que, acima de tudo, ele só quer o seu carinho e a sua atenção. Faça dessa amizade uma Guarda Responsável.

Importante! Consulte sempre o veterinário, de sua confiança, antes de usar qualquer produto químico ou medicamento em seu pet.

Por: Ana Carolina dos Santos

Fonte: G1, Terra Verde Viva, Mundo de Filhotes, Proteção Animal, Apata

Aprimore seus conhecimentos:

- Conheça o Curso CPT Como Fazer Banho e Tosa em Cães

- Conheça os Cursos CPT da área Como Fazer

Cursos Relacionados

Curso Como Montar um Canil Curso Como Montar um Canil

Com Prof. Dr. José Antônio Viana

R$ 338,00 à vista ou em até 10x de R$ 33,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais
Curso Como Montar um Pet Shop - Com Banho, Tosa e Atendimento Curso Como Montar um Pet Shop - Com Banho, Tosa e Atendimento

Com Prof. Dr. José Antônio Viana

R$ 368,00 à vista ou em até 10x de R$ 36,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais
Curso Banho e Tosa em Cães e Gatos - Infraestrutura, Banhos e Tosa Higiênica Curso Banho e Tosa em Cães e Gatos - Infraestrutura, Banhos e Tosa Higiênica

Com Prof.ª Alessandra Sayegh

R$ 348,00 à vista ou em até 10x de R$ 34,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Mais Dicas Cursos CPT

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade