Fazer a análise química do solo é importante para a agricultura?

A única forma de conhecer os estoques de nutrientes do solo, antes de decidir pelo seu uso na agricultura, é por meio da análise química do solo

Fazer a análise química do solo é importante para a agricultura?   Artigos Cursos CPT
 

É muito importante fazer a avaliação e o monitoramento das condições de fertilidade da área a ser cultivada e a única forma de conhecer os estoques de nutrientes do solo, antes de decidir pelo seu uso na agricultura, é por meio da análise química  do  solo.  Com  ela,  é  possível  saber  a  quantidade  de  adubos  e corretivos que deve ser usada para melhorar a qualidade da terra. As plantas precisam  de  nutrientes  que,  muitas  vezes,  não  são  encontrados  em quantidade  suficiente  no  solo  e  devem  ser  repostos para  garantir  uma produtividade satisfatória.

Segundo Dr. Eufran Ferreira do Amaral, professor do Curso a Distância CPT Planejamento Estratégico de Propriedades Rurais, em Livro+DVD e Curso Online, “A  amostragem  e  análise  do  solo,  para  avaliação  de  sua  fertilidade, devem fazer parte do planejamento da instalação das culturas agrícolas e, ou florestais.  Ela  serve  para  garantir  o  balanço nutricional  adequado  no  solo e prevenir  futuros  problemas  nutricionais  que  podem  facilitar  o  aparecimento de pragas e doenças”.

A  partir  da  avaliação  da  fertilidade  do  solo,  pode-se  aumentar  a lucratividade,  pois  haverá  um  aumento  da  produção  e  da  resistência  da planta,  diminuindo  os  gastos  com  inseticidas,  herbicidas  e  fungicidas.  Em consequência  disso,  haverá  melhor  qualidade  de  vida  e  menor  impacto ambiental,  inclusive,  diminuindo  a  pressão  sobre  áreas  com  cobertura primária.

O primeiro passo para proceder a uma amostragem é subdividir a área em  unidades  homogêneas.  Nessa  subdivisão,  devem  ser  considerados aspectos  tais  como:  tipo  de  solo,  topografia,  vegetação  e  história  da utilização desse solo. Os solos podem ser diferenciados pela sua cor, textura, profundidade, topografia,  drenagem  e  outros  fatores  observados  pelo  responsável  pela amostragem. Se todos esses fatores forem homogêneos numa lavoura, mas existe  uma  parte  já  utilizada  ou  até  adubada,  então  esta  última  deve  ser amostrada em separado.

As amostras de solo podem ser coletadas em qualquer época do ano, mas considerando que o transporte para o laboratório exige, em geral, uma semana  ou  mais,  que  duas  semanas  são  necessárias  para  analisar  as amostras e que a remessa dos resultados ao interessado exige uma semana ou mais, é aconselhável amostrar o solo um mês e meio ou dois, antes de se pretender efetuar adubação.

Em  pastagens  já  estabelecidas,  proceder  à  amostragem  dois  a  três meses  antes  do  máximo  crescimento  vegetativo.  Em  culturas  perenes, amostras após a colheita. A profundidade de amostragem para culturas, como trigo, arroz, feijão, milho etc, deve ser aquela correspondente à camada arável, ou seja 17-20 cm.  No  caso  de  adubação  superficial  de  culturas  já estabelecidas,  coletar amostras a 10 cm de profundidade.

Para culturas permanentes, como silvicultura, Heveicultura, fruticultura etc., as amostras devem ser coletadas nas profundidades de 0-20 cm e 20-40  cm antes  da  implantação  da  cultura.  Após  implantação, para  realizar  as condições  de  fertilidade  do  solo,  coletar  amostras na  profundidade  de  0-20 cm.

Para fazer a avaliação da fertilidade do solo, o agricultor deve retirar a amostra  de  terra  que  representa  cada  divisão  da  área.  O  passo  seguinte  é realizar  a  análise  laboratorial,  que  indicará  os  níveis  de  nutrientes  no  solo, possibilitando  o  desenvolvimento  de  um  programa  de calagem,  no  caso  de solos  ácidos  como  os  de  cerrado  e  de  adubação.  Se  o  produtor  não  tiver conhecimentos  técnicos  para  interpretar  os  resultados  do  laboratório,  deve buscar  os  serviços  de  um  engenheiro  agrônomo.  Após a  interpretação,  ele fará as recomendações de correção do solo.

A análise  de solo deve ser repetida em intervalos de  um a três anos, dependendo  da  intensidade  da  adubação,  do  número  de  culturas  de  ciclo curto consecutivas ou do estágio de desenvolvimento de culturas perenes.  

As amostras podem ser enviadas por correio junto com todos os dados do  proprietário.  Os  laboratórios  demoram  cerca  de  dez  dias  úteis  para entregar os resultados e alguns oferecem interpretação dos resultados para a cultura que o produtor desejar.

Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs e Cursos Online, da área Administração Rural.
Por Silvana Teixeira.

Cursos Relacionados

Curso Chefia e Liderança na Fazenda Curso Chefia e Liderança na Fazenda

Com Prof. Pedro Paulo Iannini

R$ 338,00 à vista ou em até 10x de R$ 33,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais
Curso Planejamento Estratégico de Propriedades Rurais Curso Planejamento Estratégico de Propriedades Rurais

Com Prof. Dr. Eufran Amaral e Prof. Dr. João Luiz Lani

R$ 365,00 à vista ou em até 10x de R$ 36,50 sem juros no cartão + frete

Saiba mais
Curso Administração da Pequena Empresa Rural Curso Administração da Pequena Empresa Rural

Com Prof. Edson Schwambach

R$ 338,00 à vista ou em até 10x de R$ 33,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Outros artigos relacionados à área Administração Rural

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade